Kodak no negativo

Empresa acabou virando vtima de seus prprios produtos, e procura sadas para evitar o fim de mais de cem anos de histria.

Kodak no negativo
Kodak no negativo (Foto: DIVULGAÇÃO)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Lucas Reginato _247

- A empresa que já foi sinônimo de fotografia vive hoje um momento de decadência. A Kodak procura uma saída para evitar falência. O drama foi revelado em um comunicado oficial da empresa, que agora busca soluções para manter suas ações na Bolsa de Nova York.

As ações caíram mais de 80% em 2011, chegando a valor inferior a US$ 0,80. Com o comunicado desta quarta-feira, os valores caíram 30%, chegando a US$ 0,47. Agora a empresa estuda maneiras de salvar sua história que nasceu com o inventor do filme fotográfico, George Eastman, em 1888 – as mais de mil patentes devem entrar em leilão.

A queda da Kodak é reflexo da teimosia diante do advento da digitalização das imagens. Embora tenha patenteado a câmera digital em 1975, a empresa que já foi a principal do ramo demorou em investir na nova tecnologia, com medo de abrir mão do que era sua principal fonte de renda: os filmes fotográficos.

Refém de um produto ultrapassado, outras instituições acabaram tomando a liderança do mercado, enquanto a Kodak virou produto de profissionais nostálgicos, amantes da fotografia analógica. Agora encurralada, parece que os produtos tão cobiçados em outras épocas devem mesmo acabar como peças antigas de museus.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email