Latuff: a máfia dos ingressos da Copa

Chargista Carlos Latuff retrata em sua mais recente ilustração o caso envolvendo a venda ilegal de ingressos para a Copa; nesta segunda (7), a polícia do Rio de Janeiro prendeu o diretor-executivo da Match, empresa ligada à Fifa, suspeito de facilitar o repasse de ingressos a um grupo acusado de venda ilegal; grupo estimava que poderia faturar com a Copa do Mundo no Brasil cerca de R$ 200 milhões

Chargista Carlos Latuff retrata em sua mais recente ilustração o caso envolvendo a venda ilegal de ingressos para a Copa; nesta segunda (7), a polícia do Rio de Janeiro prendeu o diretor-executivo da Match, empresa ligada à Fifa, suspeito de facilitar o repasse de ingressos a um grupo acusado de venda ilegal; grupo estimava que poderia faturar com a Copa do Mundo no Brasil cerca de R$ 200 milhões
Chargista Carlos Latuff retrata em sua mais recente ilustração o caso envolvendo a venda ilegal de ingressos para a Copa; nesta segunda (7), a polícia do Rio de Janeiro prendeu o diretor-executivo da Match, empresa ligada à Fifa, suspeito de facilitar o repasse de ingressos a um grupo acusado de venda ilegal; grupo estimava que poderia faturar com a Copa do Mundo no Brasil cerca de R$ 200 milhões (Foto: Valter Lima)

247 - O chargista Carlos Latuff retrata em sua mais recente ilustração o caso envolvendo a venda ilegal de ingressos para a Copa. Nesta segunda-feira (7), a polícia do Rio de Janeiro prendeu o diretor-executivo da Match, empresa ligada à Fifa, suspeito de facilitar o repasse de ingressos a um grupo acusado de venda ilegal. A prisão de Ray Whelan ocorreu no hotel Copacabana Palace, na zona sul do Rio, onde o suspeito estava hospedado. A cúpula da Fifa vem usando o mesmo hotel durante a Copa do Mundo.

Segundo a polícia, o grupo estimava que poderia faturar com a Copa do Mundo no Brasil cerca de R$ 200 milhões.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247