Laudo do IML aponta que João Victor usou droga e sofreu infarto

Documento do Instituto de Criminalística informa que o adolescente de 13 anos, que morreu em frente a uma loja do Habib´s na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, tinha no sangue as substâncias tricloroetileno e clorofórmio, encontradas no lança-perfumes, além de cocaína, o que teriam levado a um infarto e à morte; seu corpo tinha escoriações, mas nenhuma fratura; a família afirma que o garoto foi agredido por seguranças da rede de lanchonetes

Documento do Instituto de Criminalística informa que o adolescente de 13 anos, que morreu em frente a uma loja do Habib´s na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, tinha no sangue as substâncias tricloroetileno e clorofórmio, encontradas no lança-perfumes, além de cocaína, o que teriam levado a um infarto e à morte; seu corpo tinha escoriações, mas nenhuma fratura; a família afirma que o garoto foi agredido por seguranças da rede de lanchonetes
Documento do Instituto de Criminalística informa que o adolescente de 13 anos, que morreu em frente a uma loja do Habib´s na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, tinha no sangue as substâncias tricloroetileno e clorofórmio, encontradas no lança-perfumes, além de cocaína, o que teriam levado a um infarto e à morte; seu corpo tinha escoriações, mas nenhuma fratura; a família afirma que o garoto foi agredido por seguranças da rede de lanchonetes (Foto: Gisele Federicce)

SP 247 – O laudo realizado no corpo de João Victor, de 13 anos, que morreu em frente a uma loja do Habib´s na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, no domingo 26, aponta que o adolescente consumiu drogas e sofreu um infarto antes de morrer.

O documento do Instituto de Criminalística informa que havia no sangue do garoto as substâncias tricloroetileno e clorofórmio, encontradas no lança-perfumes, conhecido como 'loló', além de uma pequena dose de cocaína.

Seu corpo tinha escoriações, segundo o IML, mas não foram registrados fraturas ou traumas. João Victor sofreu uma parada cardiorrespiratória e chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu.

A família afirma que o garoto foi agredido por seguranças da rede de lanchonetes. Um vídeo com imagens de câmera de segurança mostrou dois seguranças da loja arrastando o garoto, já desacordado, e largando-o deitado do outro lado da rua.

Um motorista de ônibus que aparece nas imagens informou à Globonews ter visto o garoto apanhar de um dos seguranças. O laudo do IML foi encaminhado para o 28º DP, responsável pela investigação do caso, na manhã desta terça.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247