Lava Jato: deputados do RS se dizem surpresos

Seis deputados gaúchos que estão na lista da Procuradoria Geral da República (PGR) para serem investigados na Operação Lava Jato negaram o envolvimento com o esquema de corrupção entre Petrobras, políticos e empreiteiras; um deles é Luiz Carlos Heinze (PP-RS), que disse ter recebido a notícia com "estranheza"; "Não tenho nenhum envolvimento, todos conhecem minha posição dentro do partido. Estou limpo e tranquilo quanto a esta questão", afirmou

Seis deputados gaúchos que estão na lista da Procuradoria Geral da República (PGR) para serem investigados na Operação Lava Jato negaram o envolvimento com o esquema de corrupção entre Petrobras, políticos e empreiteiras; um deles é Luiz Carlos Heinze (PP-RS), que disse ter recebido a notícia com "estranheza"; "Não tenho nenhum envolvimento, todos conhecem minha posição dentro do partido. Estou limpo e tranquilo quanto a esta questão", afirmou
Seis deputados gaúchos que estão na lista da Procuradoria Geral da República (PGR) para serem investigados na Operação Lava Jato negaram o envolvimento com o esquema de corrupção entre Petrobras, políticos e empreiteiras; um deles é Luiz Carlos Heinze (PP-RS), que disse ter recebido a notícia com "estranheza"; "Não tenho nenhum envolvimento, todos conhecem minha posição dentro do partido. Estou limpo e tranquilo quanto a esta questão", afirmou (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - Seis deputados gaúchos que estão na lista da Procuradoria Geral da República (PGR) para serem investigados na Operação Lava Jato negaram o envolvimento com o esquema de corrupção entre Petrobras, políticos e empreiteiras.

O parlamentar Luiz Carlos Heinze (PP-RS) disse ter recebido a notícia com “estranheza”. “Não tenho nenhum envolvimento, todos conhecem minha posição dentro do partido. Estou limpo e tranquilo quanto a esta questão”, afirmou.

O deputado Afonso Hamm (PP-RS) afirmou estar “absolutamente surpreso e indignado” sob o argumento não há nenhuma razão para seu nome constar “num escândalo de tamanha dimensão”. “Nunca fez parte da minha trajetória e atuação polícia”, acrescentou.

Quem também negou envolvimento no esquema foi o deputado Renato Molling (PP-RS). O progressisa disse que “não tem nada a ver com a operação”. “Não conheço nenhuma pessoa citada, nunca recebi dinheiro dessas pessoas. Vou provar minha inocência”, complementou.

Da Espanha, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) também disse estar "surpreso" com a decisão. Segundo o congressista, a divulgação da decisão repercutiu negativamente na família dele e que retornará ao Brasil.

Outro parlamentar que disse estar surpreso com a lista foio deputado José Otávio Germano (PP-RS). "Rechaço e lamento, de forma veemente, a inclusão de meu nome no rol de parlamentares relacionados a esta investigação, mas asseguro à sociedade brasileira, e em especial aos cidadãos gaúchos, que não tenho absolutamente nada a ver com quaisquer ilícitos relativos a Petrobras."

O ex-deputado Vilson Covatti (PP-RS) disse estar "surpreso, com indignação e revoltado" com a decisão do ministro Teori Zavascki. "Nunca tive nenhuma reunião e nenhum envolvimento e nunca recebi um centavo de ninguém", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247