Líder de João diz que "não quer voto de revoltado com IPTU"

Um dia após a oposição fazer duras críticas à administração municipal em decorrência do reajuste do IPTU e dos transtornos causados na entrega dos boletos, o líder da bancada governista, Agnaldo Feitosa (PR), disse ontem que “o povo revoltado com o aumento do imposto deve procurar a Justiça”; ele também afirmou que não está preocupado com a repercussão eleitoral do reajuste; “Não quero o voto dos revoltados com o aumento do IPTU, que esse povo revoltado vá à Justiça”, reforçou

Um dia após a oposição fazer duras críticas à administração municipal em decorrência do reajuste do IPTU e dos transtornos causados na entrega dos boletos, o líder da bancada governista, Agnaldo Feitosa (PR), disse ontem que “o povo revoltado com o aumento do imposto deve procurar a Justiça”; ele também afirmou que não está preocupado com a repercussão eleitoral do reajuste; “Não quero o voto dos revoltados com o aumento do IPTU, que esse povo revoltado vá à Justiça”, reforçou
Um dia após a oposição fazer duras críticas à administração municipal em decorrência do reajuste do IPTU e dos transtornos causados na entrega dos boletos, o líder da bancada governista, Agnaldo Feitosa (PR), disse ontem que “o povo revoltado com o aumento do imposto deve procurar a Justiça”; ele também afirmou que não está preocupado com a repercussão eleitoral do reajuste; “Não quero o voto dos revoltados com o aumento do IPTU, que esse povo revoltado vá à Justiça”, reforçou (Foto: Valter Lima)

Valter Lima, do Sergipe 247 - Um dia após a oposição fazer duras críticas à administração municipal em decorrência do reajuste do IPTU e dos transtornos causados na entrega dos boletos, o líder da bancada governista, Agnaldo Feitosa (PR), disse ontem que “o povo revoltado com o aumento do imposto deve procurar a Justiça”. Ele também afirmou que não está preocupado com a repercussão eleitoral do reajuste. “Não quero o voto dos revoltados com o aumento do IPTU, que esse povo revoltado vá à Justiça”, reforçou.

Em discurso na Câmara, o parlamentar reconheceu que houve equívocos na cobrança, mas defendeu o reajuste. “Precisávamos de uma reavaliação do IPTU. Essa gestão tem compromisso com a cidade. Aracaju foi construída sem alicerce e estamos mudando isso”, disse.

Agnaldo afirmou ainda que já convidou o secretário Luciano Paz (Fazenda) para prestar esclarecimentos aos vereadores sobre o reajuste. “Luciano se prontificou a vir à Câmara. Não fizemos nada às escuras”, disse ele, numa resposta ao requerimento apresentado pelo vereador Emmanuel Nascimento (PT) convocando o secretário.

O líder da bancada governista demonstrou contrariedade com a crítica feita no dia anterior pela vereadora Lucimara Passos (PC do B), que citou uma frase de Voltaire para reclamar da atuação da gestão municipal. “A idiotice é uma doença extraordinária, não é o enfermo que sofre por ela, mas sim os demais”, disse a vereadora na quarta-feira. Agnaldo rebateu: “É idiotice pagar o piso dos agentes de saúde? É idiotice realizar obras? O prefeito também está sofrendo com os transtornos com o IPTU. Ele não queria que isso ocorresse”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247