Líder defende convocação do Congresso em janeiro

O líder do Governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), defendeu nesta sexta-feira (11) o cancelamento do recesso parlamentar, previsto para começar em 22 de dezembro e terminar em fevereiro. “Esse período é essencial para que possamos debater projetos e construir alternativas que garantam ao país as condições para superar os problemas econômicos”, considerou

O líder do Governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), defendeu nesta sexta-feira (11) o cancelamento do recesso parlamentar, previsto para começar em 22 de dezembro e terminar em fevereiro. “Esse período é essencial para que possamos debater projetos e construir alternativas que garantam ao país as condições para superar os problemas econômicos”, considerou
O líder do Governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), defendeu nesta sexta-feira (11) o cancelamento do recesso parlamentar, previsto para começar em 22 de dezembro e terminar em fevereiro. “Esse período é essencial para que possamos debater projetos e construir alternativas que garantam ao país as condições para superar os problemas econômicos”, considerou (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - “Nós precisamos ter convocação do Congresso para resolver esse grave problema (econômico) e permitir que o país supere a crise com a geração de emprego e a retomada do crescimento”, disse hoje (11) o líder do Governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), defendendo o funcionamento do Congresso em janeiro e o cancelamento do recesso parlamentar, previsto para começar em 22 de dezembro e terminar em fevereiro.

Segundo Pimentel, é essencial que os parlamentares estejam em Brasília durante o mês de janeiro. “Esse período é essencial para que possamos debater projetos e construir alternativas que garantam ao país as condições para superar os problemas econômicos”, considerou.

O senador destacou que os incidentes ocorridos na Câmara dos Deputados em torno do pedido de impeachment da presidenta da República, Dilma Rousseff, não devem contaminar a pauta de votações do Congresso. “Essa questão política não pode se sobrepor aos interesses do país, ainda mais num momento de profunda crise na economia”, avaliou.

Pimentel alertou ainda para a repercussão social que resultará em caso de suspensão dos trabalhos na Câmara e no Senado. “A sociedade brasileira não aceitará que o Congresso Nacional entre em recesso. Exatamente por isso, é incompreensível que você encontre um deputado federal, um senador da República em férias, enquanto a economia do país está derretendo”, concluiu.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email