Líder do Governo informa que servidora acusada de fraude estava afastada

O deputado estadual Evandro Leitão (PDT), líder do Governo na Assembleia Legislativa, informou nesta terça (24) que a servidora da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) presa por suposto envolvimento em desvio de recursos na compra de medicamentos já estava afastada de suas funções quando ocorreu a detenção. “Isso demonstra que o Estado quer que seja tudo apurado e responsabilizando quem esteja comprometido com o delito”, afirmou, em pronunciamento na Casa

O deputado estadual Evandro Leitão (PDT), líder do Governo na Assembleia Legislativa, informou nesta terça (24) que a servidora da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) presa por suposto envolvimento em desvio de recursos na compra de medicamentos já estava afastada de suas funções quando ocorreu a detenção. “Isso demonstra que o Estado quer que seja tudo apurado e responsabilizando quem esteja comprometido com o delito”, afirmou, em pronunciamento na Casa
O deputado estadual Evandro Leitão (PDT), líder do Governo na Assembleia Legislativa, informou nesta terça (24) que a servidora da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) presa por suposto envolvimento em desvio de recursos na compra de medicamentos já estava afastada de suas funções quando ocorreu a detenção. “Isso demonstra que o Estado quer que seja tudo apurado e responsabilizando quem esteja comprometido com o delito”, afirmou, em pronunciamento na Casa (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - O deputado Evandro Leitão (PDT), líder do Governo na Assembleia, informou, nesta terça-feira (24), em pronunciamento na Casa, que a servidora da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) presa por suposto envolvimento em desvio de recursos na compra de medicamentos já estava afastada de suas funções quando ocorreu a detenção.

O parlamentar destacou que na semana passada, quando houve a deflagração da Operação Medicar, que está apurando fraude na compra de medicamentos e material hospitalar pela Sesa, o Governo do Estado já estava tomando providências para coibir os desvios. “Estaria havendo envolvimento de servidores e empresários. Não podemos fazer acusações preliminares sem haver a devida investigação”, acentuou.

De acordo com Evandro Leitão, logo no primeiro momento, ao tomar conhecimento de desvio de conduta, O Executivo afastou a servidora. “Isso demonstra que o Estado quer que seja tudo apurado e responsabilizando quem esteja comprometido com o delito. A servidora já estava afastada quando houve o mandado de prisão”, defendeu.

O pedetista Ressaltou que o atual sistema de compras de medicamentos e equipamentos hospitalares foi instalado em 2015, adotando a aquisição corporativa. “O abastecimento foi ampliado e houve uma economia de 20 por cento nas compras. Portanto, uma redução drástica”.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247