Líder do PDT nega pressão por vaga na chapa do PT

Presidente do PDT na Bahia, o deputado Félix Mendonça Jr. diz que encontro com Jaques Wagner e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, hoje, será apenas para conversar; "Não tem nada de pressão, nada de colocar ninguém na parede. Será encontro do presidente nacional Carlos Lupi, com o deputado Marcelo Nilo, com o governador. É uma expectativa normal. Eu até vi uma notícia em um jornal de que o PDT teve que trazer o presidente nacional. É um prestígio ter o presidente nacional aqui em todo momento com a gente"

Presidente do PDT na Bahia, o deputado Félix Mendonça Jr. diz que encontro com Jaques Wagner e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, hoje, será apenas para conversar; "Não tem nada de pressão, nada de colocar ninguém na parede. Será encontro do presidente nacional Carlos Lupi, com o deputado Marcelo Nilo, com o governador. É uma expectativa normal. Eu até vi uma notícia em um jornal de que o PDT teve que trazer o presidente nacional. É um prestígio ter o presidente nacional aqui em todo momento com a gente"
Presidente do PDT na Bahia, o deputado Félix Mendonça Jr. diz que encontro com Jaques Wagner e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, hoje, será apenas para conversar; "Não tem nada de pressão, nada de colocar ninguém na parede. Será encontro do presidente nacional Carlos Lupi, com o deputado Marcelo Nilo, com o governador. É uma expectativa normal. Eu até vi uma notícia em um jornal de que o PDT teve que trazer o presidente nacional. É um prestígio ter o presidente nacional aqui em todo momento com a gente" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O novo presidente do PDT na Bahia, deputado federal Félix Mendonça Jr., nega que o partido esteja pondo o governador Jaques Wagner 'contra a parede' para que o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo, seja escolhido como candidato a vice-governador do petista Rui Costa.

Em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, Félix Jr. diz que encontro com Wagner e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, hoje, será "apenas para conversar" e que decisão mesmo só deve ser tomada no mês de março.

Sobre a queda de braço com o PP para indicação do vice, o líder pedetista diz que acha natural o pleito dos partidos que compõem a base do governo. Abaixo a entrevista.

Tribuna da Bahia – Qual o maior desafio à frente do PDT?

Na verdade, o maior desafio é de todos, pois dos 417 municípios apenas nove estão com diretório estruturado. Todos os outros funcionam como provisórios. O maior desafio é deixar a gente com 100% de diretórios. No dia vou entregar a proposta para o presidente eleito pelos diretórios.

Tribuna – O senhor vai ficar quanto tempo no cargo?

Cerca de seis meses. Porque também sou provisório, se for aprovado, ficarei mais seis meses e o tempo de ter isso. Quero entregar o partido organizado.

Tribuna – Qual expectativa para a reunião de amanhã (hoje) com o governador Jaques Wagner?

Será uma reunião boa e vamos apenas conversar. Não tem nada de pressão, nada de colocar ninguém na parede. Será encontro do presidente nacional Carlos Lupi, com o deputado Marcelo Nilo, com o governador. É uma expectativa normal. Eu até vi uma notícia em um jornal de que o PDT teve que trazer o presidente nacional. É um prestígio ter o presidente nacional aqui em todo momento com a gente.

Tribuna – Uma informação que me chegou ontem é que há 70% de chance de a ex-vereadora Andrea Mendonça assumir a secretaria de Ciência e Tecnologia. É verídico isso?

Isso é uma missão do governador. O PDT indicou três nomes para ele. Portanto, há 33,3% de chances para cada.

Tribuna – Quem são esses nomes, além de Andrea?

Tem o Abel Rebouças, de Vitória da Conquista, ex-reitor da Uesb. Tem o Enzo Faustino, que já assumiu secretaria temporariamente e hoje é vice-prefeito de Ubatã, e tem a ex-vereadora Andrea Mendonça.

Tribuna – Amanhã (hoje) deve ter essa definição?

Amanhã (hoje) não. Acho que até o dia 15. Depende do governador.

Tribuna – Como o senhor vê os comentários do presidente do PP, Mário Negromonte, falando que não pode acontecer pressão pessoal na escolha do candidato a vice do PT?

Eu acho que ele está certo. Não pode acontecer pressão. Ele está certo nesse ponto. Tudo tem que ser natural. Não pode haver posicionamento nenhum a apoiar isso.

Tribuna – Vai ter anúncio de apoio do PDT a Rui Costa ou vai depender da conversa com o governador?

Amanhã (hoje) a gente define a data. Não tenho informação oficial de nenhuma parte.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247