Líder do PT questiona falta de provas: “como é que se denuncia alguém assim?”

Senador Humberto Costa (PE) lembra que, "por reiteradas vezes, vimos os procuradores dizerem: não temos provas cabais do que estamos falando, não podemos afirmar de forma peremptória aquilo que estamos dizendo. Então, como é que se pode denunciar alguém assim, sob essas bases?"; segundo ele, "há um evidente excesso em tudo isso, uma perda da sobriedade, uma tentativa de criminalização despudorada do PT e de Lula que não podem ser acolhidos pela Justiça"

Senador Humberto Costa (PE) lembra que, "por reiteradas vezes, vimos os procuradores dizerem: não temos provas cabais do que estamos falando, não podemos afirmar de forma peremptória aquilo que estamos dizendo. Então, como é que se pode denunciar alguém assim, sob essas bases?"; segundo ele, "há um evidente excesso em tudo isso, uma perda da sobriedade, uma tentativa de criminalização despudorada do PT e de Lula que não podem ser acolhidos pela Justiça"
Senador Humberto Costa (PE) lembra que, "por reiteradas vezes, vimos os procuradores dizerem: não temos provas cabais do que estamos falando, não podemos afirmar de forma peremptória aquilo que estamos dizendo. Então, como é que se pode denunciar alguém assim, sob essas bases?"; segundo ele, "há um evidente excesso em tudo isso, uma perda da sobriedade, uma tentativa de criminalização despudorada do PT e de Lula que não podem ser acolhidos pela Justiça" (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE) saiu em defesa da honra do ex-presidente Lula, apontado por integrantes da Força-Tarefa do Ministério Público Federal e da Polícia Federal responsável pela Lava-Jato como "comandante máximo do esquema de corrupção". Para o senador, a peça apresentada à Justiça carece de fundamentos fáticos e jurídicos.

"Por reiteradas vezes, vimos os procuradores dizerem: não temos provas cabais do que estamos falando, não podemos afirmar de forma peremptória aquilo que estamos dizendo. Então, como é que se pode denunciar alguém assim, sob essas bases?", questionou o líder do PT. "Até comentários de réus confessos, que fizeram delações premiadas e têm credibilidade extremamente questionada pelo próprio Ministério Público, foram usados. Com todo o respeito aos investigadores, isso fragiliza o processo e, consequentemente, a denúncia. Que eu saiba, até hoje PowerPoint não serve como prova de nada."

Para Humberto, houve todo um cronograma político cumprido no curso das investigações até se chegar à denúncia contra Lula, cujas medidas cautelares de que eventualmente será alvo não foram detalhadas pelo MPF. "Eu entendo que algo assim não vai prosperar no Judiciário. Há um evidente excesso em tudo isso, uma perda da sobriedade, uma tentativa de criminalização despudorada do PT e de Lula que não podem ser acolhidos pela Justiça", esclarece o líder do PT.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247