Liminar do TJ suspende paralisação de policiais

Desembargadora Maria das Graças Carneiro Requi, atendendo a pedido de liminar do governo de Goiás, determinou na tarde desta quarta-feira "a suspensão, em sua totalidade, do movimento paredista envolvido" por associações de policiais civis e militares, "sob pena de multa diária de R$ 20 mi"; em retaliação ao adiamento do reajuste salarial que seria pago este ano, servidores da segurança pública decidiram realizar paralisação dos serviços a partir de 8h de hoje até o mesmo horário de quinta-feira; Secretaria de Segurança Pública divulgou fotos de equipes da Polícia Militar trabalhando normalmente nas ruas de Goiânia, mas delegacias, como o 1º DP, não estão registrando ocorrências

Desembargadora Maria das Graças Carneiro Requi, atendendo a pedido de liminar do governo de Goiás, determinou na tarde desta quarta-feira "a suspensão, em sua totalidade, do movimento paredista envolvido" por associações de policiais civis e militares, "sob pena de multa diária de R$ 20 mi"; em retaliação ao adiamento do reajuste salarial que seria pago este ano, servidores da segurança pública decidiram realizar paralisação dos serviços a partir de 8h de hoje até o mesmo horário de quinta-feira; Secretaria de Segurança Pública divulgou fotos de equipes da Polícia Militar trabalhando normalmente nas ruas de Goiânia, mas delegacias, como o 1º DP, não estão registrando ocorrências
Desembargadora Maria das Graças Carneiro Requi, atendendo a pedido de liminar do governo de Goiás, determinou na tarde desta quarta-feira "a suspensão, em sua totalidade, do movimento paredista envolvido" por associações de policiais civis e militares, "sob pena de multa diária de R$ 20 mi"; em retaliação ao adiamento do reajuste salarial que seria pago este ano, servidores da segurança pública decidiram realizar paralisação dos serviços a partir de 8h de hoje até o mesmo horário de quinta-feira; Secretaria de Segurança Pública divulgou fotos de equipes da Polícia Militar trabalhando normalmente nas ruas de Goiânia, mas delegacias, como o 1º DP, não estão registrando ocorrências (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - A desembargadora Maria das Graças Carneiro Requi, atendendo a pedido de liminar do governo de Goiás, determinou na tarde desta quarta-feira "a suspensão, em sua totalidade, do movimento paredista envolvido" por associações de policiais civis e militares, "sob pena de multa diária de R$ 20 mil, a ser suportada, individualmente, para as partes requeridas, em caso de descumprimento desta decisão, sem prejuízo das sanções criminais e administrativas pertinentes".

Em retaliação ao adiamento do reajuste salarial que seria pago este ano, servidores da segurança pública decidiram realizar paralisação dos serviços a partir de 8h de hoje até o mesmo horário de quinta-feira. A Secretaria de Segurança Pública divulgou fotos de equipes da Polícia Militar trabalhando normalmente nas ruas de Goiânia.

No 1º DP de Goiânia, no Centro, nenhuma ocorrência policial foi registrada na quarta-feira e os servidores da Polícia Civil se colocaram foram do prédio e deram entrevista à imprensa, reforçando a paralisação. Funcionários do Instituo Médico Legal também não estavam trabalhando em ritmo normal e havia demora na remoção de cadáveres.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247