Listão do Grupo JBS inclui 21 políticos do Piauí

Depois de entregar o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, mais 20 políticos do Piauí - com mandatos, suplentes e não eleitos - foram relacionados por diretores e executivos da holding J&F, do grupo JBS, nas delações premiadas na Operação Lava Jato; Ricardo Saud, diretor da J&F,da qual faz parte o Grupo JBS, contabilizou pelo menos 1.829 candidatos de 28 partidos que receberam doações de campanha das empresas dos irmãos Batista, durante a campanha de 2014; entre os que levaram algum da J&Festão os 21 piauienses

Depois de entregar o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, mais 20 políticos do Piauí - com mandatos, suplentes e não eleitos - foram relacionados por diretores e executivos da holding J&F, do grupo JBS, nas delações premiadas na Operação Lava Jato; Ricardo Saud, diretor da J&F,da qual faz parte o Grupo JBS, contabilizou pelo menos 1.829 candidatos de 28 partidos que receberam doações de campanha das empresas dos irmãos Batista, durante a campanha de 2014; entre os que levaram algum da J&Festão os 21 piauienses
Depois de entregar o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, mais 20 políticos do Piauí - com mandatos, suplentes e não eleitos - foram relacionados por diretores e executivos da holding J&F, do grupo JBS, nas delações premiadas na Operação Lava Jato; Ricardo Saud, diretor da J&F,da qual faz parte o Grupo JBS, contabilizou pelo menos 1.829 candidatos de 28 partidos que receberam doações de campanha das empresas dos irmãos Batista, durante a campanha de 2014; entre os que levaram algum da J&Festão os 21 piauienses (Foto: Leonardo Lucena)

Piauí Hoje - Depois de entregar o presidente nacional do Partido Progressista, senador Ciro Nogueira, mais 20 políticos do Piauí - com mandatos, suplentes e não eleitos - foram relacionados por diretores e executivos da holding J&Fnas delações premiadas na Operação Lava Jato. Ricardo Saud, diretor da J&F,da qual faz parte o Grupo JBS, contabilizou pelo menos 1.829 candidatos de 28 partidos que receberam doações de campanha das empresas dos irmãos Batista, durante a campanha de 2014. Entre os que levaram algum da J&Festão os 21 piauienses.

Ricardo Saud citou o pagamento no valor de R$ 2,5 milhões, em espécie, recebidos pelo próprio senador Ciro Nogueira (PP). O pagamento feito por uma rede de supermercado de Teresina e "coberto" depois com uma nota fiscal pela J&F.

"Teve um pagamento só dele em espécie que foi de R$ 2,5 milhões que foi feito por um supermercado lá de Piauí, que aí eu não posso falar quem tirou e quem entregou. Ele mesmo organizou isso e nós fomos depois e quitamos a nota fiscal do supermercado que já ia mesmo pagar a gente", entregou o diretor da J&F.

"Picanha"

Além do senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Partido Progressista – cujo nome aparece em várias anotações de Ricardo Saud - foram listados os deputados federais Iracema Portella (PP, esposa de Ciro Nogueira), Silas Freire (PR), Mainha (PP) e Merlong Solano (PT); deputados estaduais Fábio Novo (PT), Flávio Nogueira Júnior (PDT), Júlio Arcoverde (PP), e Cícero Magalhães (PT), e vereador de Teresina Edilberto Borges, o Dudu (PT).

A lista inclui ainda os candidatos a deputado federal Flávio Nogueira (PDT) e Osmar Júnior (PC do B), Maria Rosalina (PT), Francisco Guedes (PT), Reynolds Benício (PT), Júnior do MP3 (PT), Carlos Alberto Pereira (PT), Rosângela Maria (PT), e Zé Carvalho (PC do B).

Picanha

Um dos políticos citados na lista da J&Fdisse que não recebeu nada. E brincou que o valor a ele declarado não pagava uma picanha (referindo-se às atividades da holding, que fez fortuna com a venda de carne e derivados em 150 países, opnde empregam mais de 250 mil pessoas.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247