Lula: se as eleições forem normais, PT voltará a governar o Brasil

No município gaúcho de Santana do Livramento, na fronteira com o Uruguai, o ex-presidente Lula discursou em um evento da caravana pelo Sul que contou com a participação do ex-presidente uruguaio Pepe Mujica e a presidente eleita e deposta pelo golpe, Dilma Rousseff; Lula declarou que, se as eleições deste ano forem "normais", Mujica voltará a ver o PT governando o Brasil novamente; ele disse também que o adversário de Dilma, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), "plantou vento e hoje colhe tempestade"; "Não pode nem sair na rua em Belo Horizonte, vítima do ódio que ele semeou"; assista

Lula: se as eleições forem normais, PT voltará a governar o Brasil
Lula: se as eleições forem normais, PT voltará a governar o Brasil (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - O ex-presidente Lula discursou nesta segunda-feira 19 no município de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, na fronteira com o Uruguai, durante um evento da caravana que ele faz pelos estados da Região Sul. O evento contou com a participação do ex-presidente uruguaio Pepe Mujica e da presidente eleita e deposta pelo golpe, Dilma Rousseff.

Lula declarou em seu discurso que, se as eleições deste ano forem "normais", Mujica voltará a ver o PT governando o Brasil novamente. Lula lidera todas as pesquisas de intenção de voto no País, mas pode ficar fora do pleito em decorrência da condenação em segunda instância no caso do triplex do Guarujá, que não apresentou provas contra o ex-presidente.

O ex-presidente afirmou também que o País sofreu um golpe "moderno", por meio do setor judiciário.  "Antigamente, quando eles queriam tirar um presidente, eles matavam. Depois inventaram o golpe militar. Agora eles usam um processo judicial. O Brasil sofreu um golpe moderno, tentando passar a ideia de que ainda há democracia", disse.

"O golpe no Brasil foi a coisa mais moderna: o ministério público inventou uma mentira, o juiz aceitou a mentira, a corte de segunda instância corroborou essa mentira", acrescentou.

Ele disse também que o adversário de Dilma, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), "plantou vento e hoje colhe tempestade". "Não pode nem sair na rua em Belo Horizonte, vítima do ódio que ele semeou", afirmou. "Nunca vi tanto ódio como na campanha contra a Dilma", lembrou o ex-presidente.

Confira os discursos de Lula, Mujica e Dilma:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247