“Lula só não será candidato se morrer ou não quiser”, diz presidente do PT em AL

"Não criamos muita expectativa sobre o julgamento porque já sabíamos a decisão desta Justiça, cujo papel é criminalizar a pobreza, minando a classe trabalhadora. Além disso, sabemos que, seja lá qual for o resultado final deste julgamento, todos os recursos possíveis serão impetrados", analisou Ricardo Barbosa, presidente do PT em Alagoas; para ele, Lula somente não será candidato, nas eleições presidenciais deste ano, "se morrer ou se não quiser"

"Não criamos muita expectativa sobre o julgamento porque já sabíamos a decisão desta Justiça, cujo papel é criminalizar a pobreza, minando a classe trabalhadora. Além disso, sabemos que, seja lá qual for o resultado final deste julgamento, todos os recursos possíveis serão impetrados", analisou Ricardo Barbosa, presidente do PT em Alagoas; para ele, Lula somente não será candidato, nas eleições presidenciais deste ano, "se morrer ou se não quiser"
"Não criamos muita expectativa sobre o julgamento porque já sabíamos a decisão desta Justiça, cujo papel é criminalizar a pobreza, minando a classe trabalhadora. Além disso, sabemos que, seja lá qual for o resultado final deste julgamento, todos os recursos possíveis serão impetrados", analisou Ricardo Barbosa, presidente do PT em Alagoas; para ele, Lula somente não será candidato, nas eleições presidenciais deste ano, "se morrer ou se não quiser" (Foto: Voney Malta)

Por Bruno Soriano/Gazetaweb.com - A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em julgamento nesta quarta-feira (24), manteve, por três votos a zero, a condenação do ex-presidente Lula - por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do Triplex em Guarujá (SP) -, ampliando a pena para 12 anos e 1 mês de prisão, com início em regime fechado. Porém, para o diretório estadual do PT, Lula somente não será candidato, nas eleições presidenciais deste ano, "se morrer ou se não quiser".

Isso porque o ex-presidente da República ainda pode recorrer da decisão em segunda instância, razão pela qual Lula não pode ser preso de imediato. Além disso, Lula - que é acusado pelo Ministério Público de receber propina da empreiteira OAS - também está livre para registrar sua candidatura. A chapa, inclusive, será mantida enquanto houver recursos pendentes contra a condenação.

"Não criamos muita expectativa sobre o julgamento de hoje porque já sabíamos a decisão desta Justiça, cujo papel é criminalizar a pobreza, minando a classe trabalhadora. Além disso, sabemos que, seja lá qual for o resultado final deste julgamento, todos os recursos possíveis serão impetrados", analisou Ricardo Barbosa, presidente do PT em Alagoas.

O ex-vereador por Maceió destaca, ainda, que a discussão em torno da elegibilidade de Lula "cabe apenas ao TSE [Tribunal Superior Eleitoral]". "A candidatura de Lula será, sim, registrada em agosto, ainda que tentem impugná-la mesmo com Lula já novamente eleito. Portanto, o ex-presidente Lula só não será candidato se morrer antes do pleito ou se não quiser. Não há o que se discutir quanto a isso", emendou Barbosa.

Sobre os atos públicos em defesa de Lula registrados em diversas regiões do país, o petista diz que os movimentos sociais conseguiram, com tamanha mobilização, "dar um basta à tentativa de ferir a democracia".

"Esta unidade foi fundamental, e os defensores da democracia devem se orgulhar disso. Afinal, não foi apenas o PT que esteve nas ruas, com Porto Alegre recebendo cem mil pessoas em um único dia de mobilização", complementou o presidente estadual do PT, que também parabenizou os cerca de 5 mil participantes do ato realizado em Maceió.

Por Bruno Soriano/Gazetaweb.com - A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em julgamento nesta quarta-feira (24), manteve, por três votos a zero, a condenação do ex-presidente Lula - por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do Triplex em Guarujá (SP) -, ampliando a pena para 12 anos e 1 mês de prisão, com início em regime fechado. Porém, para o diretório estadual do PT, Lula somente não será candidato, nas eleições presidenciais deste ano, "se morrer ou se não quiser".

 

Isso porque o ex-presidente da República ainda pode recorrer da decisão em segunda instância, razão pela qual Lula não pode ser preso de imediato. Além disso, Lula - que é acusado pelo Ministério Público de receber propina da empreiteira OAS - também está livre para registrar sua candidatura. A chapa, inclusive, será mantida enquanto houver recursos pendentes contra a condenação. 

 

"Não criamos muita expectativa sobre o julgamento de hoje porque já sabíamos a decisão desta Justiça, cujo papel é criminalizar a pobreza, minando a classe trabalhadora. Além disso, sabemos que, seja lá qual for o resultado final deste julgamento, todos os recursos possíveis serão impetrados", analisou Ricardo Barbosa, presidente do PT em Alagoas.

 

O ex-vereador por Maceió destaca, ainda, que a discussão em torno da elegibilidade de Lula "cabe apenas ao TSE [Tribunal Superior Eleitoral]". "A candidatura de Lula será, sim, registrada em agosto, ainda que tentem impugná-la mesmo com Lula já novamente eleito. Portanto, o ex-presidente Lula só não será candidato se morrer antes do pleito ou se não quiser. Não há o que se discutir quanto a isso", emendou Barbosa.

 

Sobre os atos públicos em defesa de Lula registrados em diversas regiões do país, o petista diz que os movimentos sociais conseguiram, com tamanha mobilização, "dar um basta à tentativa de ferir a democracia". 

 

"Esta unidade foi fundamental, e os defensores da democracia devem se orgulhar disso. Afinal, não foi apenas o PT que esteve nas ruas, com Porto Alegre recebendo cem mil pessoas em um único dia de mobilização", complementou o presidente estadual do PT, que também parabenizou os cerca de 5 mil participantes do ato realizado em Maceió.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247