Lula: vou lutar até o último dia da minha vida para provar que a PF mentiu

Em seu primeiro discurso na caravana por Minas Gerais, em Ipatinga, na noite desta segunda-feira 23, o ex-presidente anunciou que vai voltar ao Planalto "com 70 anos, uma energia de 30 e um tesão de 20"; "Eles que se preparem", desafiou; "Eles não sabem o que é um pernambucano com a energia dos mineiros. Não sabem o que vai acontecer nesse país. Se não querem que eu seja candidato, vai pra urna votar contra. Não venham criar artifício, artimanha, para que eu não saia candidato", criticou; ele voltou a defender um "referendo revogatório" para consultar a população e eventualmente "mudar o que eles fizeram"; "Senão a gente não vai conseguir governar esse País", disse; "O Lulinha paz e amor voltou. Talvez nem tanta paz e tanto amor. Eu dei a eles, mas eles não querem reciprocidade", finalizou

Em seu primeiro discurso na caravana por Minas Gerais, em Ipatinga, na noite desta segunda-feira 23, o ex-presidente anunciou que vai voltar ao Planalto "com 70 anos, uma energia de 30 e um tesão de 20"; "Eles que se preparem", desafiou; "Eles não sabem o que é um pernambucano com a energia dos mineiros. Não sabem o que vai acontecer nesse país. Se não querem que eu seja candidato, vai pra urna votar contra. Não venham criar artifício, artimanha, para que eu não saia candidato", criticou; ele voltou a defender um "referendo revogatório" para consultar a população e eventualmente "mudar o que eles fizeram"; "Senão a gente não vai conseguir governar esse País", disse; "O Lulinha paz e amor voltou. Talvez nem tanta paz e tanto amor. Eu dei a eles, mas eles não querem reciprocidade", finalizou
Em seu primeiro discurso na caravana por Minas Gerais, em Ipatinga, na noite desta segunda-feira 23, o ex-presidente anunciou que vai voltar ao Planalto "com 70 anos, uma energia de 30 e um tesão de 20"; "Eles que se preparem", desafiou; "Eles não sabem o que é um pernambucano com a energia dos mineiros. Não sabem o que vai acontecer nesse país. Se não querem que eu seja candidato, vai pra urna votar contra. Não venham criar artifício, artimanha, para que eu não saia candidato", criticou; ele voltou a defender um "referendo revogatório" para consultar a população e eventualmente "mudar o que eles fizeram"; "Senão a gente não vai conseguir governar esse País", disse; "O Lulinha paz e amor voltou. Talvez nem tanta paz e tanto amor. Eu dei a eles, mas eles não querem reciprocidade", finalizou (Foto: Gisele Federicce)

247 - O ex-presidente Lula abriu sua caravana por Minas Gerais com um ato em defesa da soberania na cidade de Ipatinga na noite desta segunda-feira 23.

Em seu discurso, ele anunciou que vai voltar à presidência "com 70 anos, uma energia de 30 e um tesão de 20". "Eles que se preparem", desafiou.

"Eles não sabem o que é um pernambucano com a energia dos mineiros. Não sabem o que vai acontecer nesse país. Se não querem que eu seja candidato, vai pra urna votar contra. Não venham criar artifício, artimanha, para que eu não saia candidato", criticou Lula.

Lula voltou a criticar a perseguição da Lava Jato contra ele. "Eles entraram na casa do Sergio Cabral e encontraram joia, do Arthur Nuzman, barra de ouro. Pois bem, eles já invadiram a minha casa, a casa dos meus filhos, já levantaram até o meu colchão, porque acharam que eu tinha dólar, ouro. O que eles não sabem é que o que mais tenho é vergonha na cara e dignidade", afirmou.

O ex-presidente voltou a defender um "referendo revogatório" para consultar a população e eventualmente "mudar o que eles fizeram", em referência ao governo Michel Temer. "Senão a gente não vai conseguir governar esse País", disse.

"O Lulinha paz e amor voltou. Talvez nem tanta paz e tanto amor. Eu dei a eles, mas eles não querem reciprocidade", finalizou

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247