Macêdo: eleição de Gleisi é momento histórico para PT

Secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, Márcio Macêdo, comemorou a eleição da senadora Gleisi Hoffman (PR) para presidir alegenda pelos próximos dois anos; Macêdo, que desistiu da disputa em nome da unidade partidária, afirmou que a vitória de Gleisi "entrará para a história da política brasileira, pois o maior partido do país elegeu uma presidenta"

Secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, Márcio Macêdo, comemorou a eleição da senadora Gleisi Hoffman (PR) para presidir alegenda pelos próximos dois anos; Macêdo, que desistiu da disputa em nome da unidade partidária, afirmou que a vitória de Gleisi "entrará para a história da política brasileira, pois o maior partido do país elegeu uma presidenta"
Secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT, Márcio Macêdo, comemorou a eleição da senadora Gleisi Hoffman (PR) para presidir alegenda pelos próximos dois anos; Macêdo, que desistiu da disputa em nome da unidade partidária, afirmou que a vitória de Gleisi "entrará para a história da política brasileira, pois o maior partido do país elegeu uma presidenta" (Foto: Paulo Emílio)

Sergipe 247 - O PT elegeu, neste final de semana, durante o seu 6º Congresso, a senadora Gleisi Hoffmann, com 61,89% dos votos, para presidir a sigla pelos próximos dois anos. Candidata do campo majoritário "Construindo Um Novo Brasil", ela teve o apoio do secretário nacional de Finanças e Planejamento, Márcio Macêdo, que desistiu da disputa em nome da unidade partidária. Para ele, a eleição de Gleisi é histórica. "Este Congresso entrará para a história da política brasileira, pois o maior partido do país elegeu uma presidenta", disse Márcio. Ele e o ex-presidente Lula foram os principais articuladores do apoio da maioria das correntes internas à parlamentar.

"O PT sai deste Congresso fortalecido, unido e com a estratégia adequada para enfrentar este momento de conjuntura adversa. Após um golpe de estado, vemos a implantação de um projeto neoliberal, com a realização de reformas impopulares, que retiram direitos, rasga a CLT, quer acabar com a aposentadoria dos trabalhadores e entrega o patrimônio nacional. Neste contexto, o PT se debruça sobre este quadro para apontar uma alternativa para o país", declarou Márcio.

Ele defende que o partido realize as mudanças que os petistas esperam. "A militância deseja um partido ainda mais democrático, mais transparente nas suas decisões, que possa funcionar mais horizontalmente e que os temas da juventude sejam prioritários para a organização partidária", destacou.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, a nova presidente do PT agradeceu o apoio dado por Márcio Macêdo e elogiou o trabalho dele na organização do Congresso. "Obrigada, Marcio. Quero parabenizá-lo pelo sucesso do 6º Congresso, pois sei que organizar um evento como este não é fácil. Foi um evento foi muito bonito. Saímos com uma unidade política muito grande, isso ajuda a organizar o campo de centro esquerda no país. Estamos todos unidos pela bandeira das Diretas Já, pela saída de Michel Temer e contra as reformas da Previdência e Trabalhista. O PT tem grande responsabilidade para que este país volte a ter desenvolvimento e esperança. Vamos preparar o caminho para que Lula volte a presidir o Brasil", disse.

Mais de 3 mil pessoas

Durante os três dias de Congresso, mais de três mil pessoas de todo o país passaram pelo evento desde a quinta-feira (1º). Além de eleger Gleisi Hoffmann, os petistas escolheram a chapa "Em defesa do Brasil, em defesa do PT, em defesa de Lula" para o diretório nacional. Durante as discussões em torno do regimento, também foi aprovada uma resolução incluindo um artigo no qual as bancadas do PT na Câmara e no Senado não vão aceitar compor com nenhum projeto que não seja o de eleições diretas. Também foi aprovada a luta ininterrupta contra as perseguições promovidas pelo Judiciário e pela imprensa ao ex-presidente Lula.

Gleisi Hoffmann (PT-PR) é líder do PT no Senado e obteve 61,89% dos votos dos delegados presentes à plenária final do Congresso contra o senador Lindbergh Farias (RJ), que foi votado por 38,11% dos delegados. Filiada ao PT desde 1989, Gleisi é formada em Direito e tem especialização em Gestão de Organizações Públicas e Administração Financeira. Foi secretária de Estado no Mato Grosso do Sul e secretária de Gestão Pública no município de Londrina (PR). Entre 2008 e 2009, presidiu o diretório estadual do PT no Paraná e em 2010 foi eleita senadora pelo estado, alcançando a marca de ser a primeira mulher eleita para o Senado no Paraná.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247