Maceió terá 1ª UPA construída e gerida com recursos do Estado

Quando estiver funcionando, o equipamento vai beneficiar cerca de 160 mil pessoas que moram na área do 5º Distrito Sanitário de Saúde; será a primeira UPA de Alagoas construída e gerida com recursos próprios do governo de Alagoas; “é o Estado de Alagoas se propondo a colocar mais recursos na saúde e melhorar o atendimento ao cidadão, sobretudo para os mais pobres, que não têm plano de saúde", disse Renan Filho

Quando estiver funcionando, o equipamento vai beneficiar cerca de 160 mil pessoas que moram na área do 5º Distrito Sanitário de Saúde; será a primeira UPA de Alagoas construída e gerida com recursos próprios do governo de Alagoas; “é o Estado de Alagoas se propondo a colocar mais recursos na saúde e melhorar o atendimento ao cidadão, sobretudo para os mais pobres, que não têm plano de saúde", disse Renan Filho
Quando estiver funcionando, o equipamento vai beneficiar cerca de 160 mil pessoas que moram na área do 5º Distrito Sanitário de Saúde; será a primeira UPA de Alagoas construída e gerida com recursos próprios do governo de Alagoas; “é o Estado de Alagoas se propondo a colocar mais recursos na saúde e melhorar o atendimento ao cidadão, sobretudo para os mais pobres, que não têm plano de saúde", disse Renan Filho (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Severino Carvalho/Agência Alagoas - Em cerimônia realizada na manhã desta terça-feira (17), o governador Renan Filho e o secretário de Estado da Saúde, Christian Teixeira, assinaram o contrato para a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jacintinho. Quando estiver funcionando, o equipamento vai beneficiar cerca de 160 mil pessoas que moram na área do 5º Distrito Sanitário de Saúde, a exemplo do bairro-sede, do Feitosa, Barro Duro, São Jorge e da Serraria. Será a primeira UPA de Alagoas construída e gerida com recursos próprios do Governo do Estado.

Renan Filho afirmou que, historicamente, o Estado se atrasou na construção da rede de saúde pública e que hoje corre contra o tempo para reduzir o déficit de leitos. De acordo com ele, o desafio é fazer funcionar o que já existe e construir novos equipamentos.

"Faz 50 anos que não se constrói um hospital público em Maceió. Quando assumimos o Governo não havia nenhuma UPA em funcionamento na capital. Aliás, Maceió era a única capital no Brasil que não possuía UPA em funcionamento. Hoje tem duas funcionando, brevemente terá mais duas e eu espero elevar para seis o número de UPAS em Maceió para atender os cerca de um milhão de habitantes, divididos em grupos de 180 a 200 mil moradores. Essa é uma mudança de postura muito grande: é o Estado de Alagoas se propondo a colocar mais recursos na saúde e melhorar o atendimento ao cidadão, sobretudo para os mais pobres, que não têm plano de saúde", explicou Renan.

A solenidade foi realizada na Avenida Juca Sampaio, na Ladeira do Óleo, no terreno onde será construída a UPA, que deve ficar pronta em 120 dias, a partir do início da execução dos serviços. A área de 6.167m² foi desapropriada pelo Estado. Por recomendação do governador, será empregada mão de obra do próprio bairro do Jacintinho na edificação da Unidade.

SUS

Inicialmente, a UPA foi orçada em R$ 5,9 milhões, mas licitada para edificação por R$ 5 milhões. A unidade irá assegurar atendimento intermediário entre a Atenção Básica e a Média e Alta Complexidade e melhorar o serviço prestado aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) da capital, juntamente com as outras duas UPAs existentes nos bairros do Trapiche e do Benedito Bentes.

A UPA do Jacintinho também vai beneficiar os moradores do 1º e 8º Distritos de Saúde, que residem nos bairros da Jatiúca, Mangabeiras, Ponta Verde, Ipioca, Pescaria, Riacho Doce, Garça Torta, Guaxuma, Jacarecica e Cruz das Almas. Com a construção da Unidade, o fluxo de pacientes que recorrem ao Hospital Geral do Estado (HGE) será reduzido.

"Temos dois desafios: fazer funcionar melhor o que já existe e construir novos equipamentos. Além das duas UPAS da capital, estamos construindo dois hospitais em Maceió: o da Mulher, que está quase pronto, e o Metropolitano, que avança a passos largos com obras em três expedientes. Estamos ainda construindo os hospitais regionais do interior, um em Porto Calvo e outro em União dos Palmares. O próximo será o Hospital Regional do Sertão, em Delmiro Gouveia, cuja licitação está sendo concluída", citou Renan Filho.

A UPA do Jacintinho será do tipo III e vai ter capacidade para atender até 350 pacientes por dia. A unidade de saúde será dividida em leitos de observação (15) e de urgência (4), nas áreas de clínica geral, pediatria, ortopedia e odontologia. O equipamento disporá do serviço de classificação de risco, sala de nebulização, consultórios, sala de gesso, laboratório, exames de raios-X e eletrocardiograma. Funcionará 24 horas durante os sete dias da semana e, deste modo, poderá resolver grande parte das urgências e emergências.

A solenidade reuniu moradores, lideranças comunitárias, deputados estaduais, vereadores, secretários de Estado e diretores de órgãos da administração indireta.

 

Severino Carvalho/Agência Alagoas - Em cerimônia realizada na manhã desta terça-feira (17), o governador Renan Filho e o secretário de Estado da Saúde, Christian Teixeira, assinaram o contrato para a construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jacintinho. Quando estiver funcionando, o equipamento vai beneficiar cerca de 160 mil pessoas que moram na área do 5º Distrito Sanitário de Saúde, a exemplo do bairro-sede, do Feitosa, Barro Duro, São Jorge e da Serraria. Será a primeira UPA de Alagoas construída e gerida com recursos próprios do Governo do Estado. 

 

Renan Filho afirmou que, historicamente, o Estado se atrasou na construção da rede de saúde pública e que hoje corre contra o tempo para reduzir o déficit de

leitos. De acordo com ele, o desafio é fazer funcionar o que já existe e construir novos equipamentos.

 

"Faz 50 anos que não se constrói um hospital público em Maceió. Quando assumimos o Governo não havia nenhuma UPA em funcionamento na capital. Aliás, Maceió era a única capital no Brasil que não possuía UPA em funcionamento. Hoje tem duas funcionando, brevemente terá mais duas e eu espero elevar para seis o número de UPAS em Maceió para atender os cerca de um milhão de habitantes, divididos em grupos de 180 a 200 mil moradores. Essa é uma mudança de postura muito grande: é o Estado de Alagoas se propondo a colocar mais recursos na saúde e melhorar o atendimento ao cidadão, sobretudo para os mais pobres, que não têm plano de saúde", explicou Renan.

 

A solenidade foi realizada na Avenida Juca Sampaio, na Ladeira do Óleo, no terreno onde será construída a UPA, que deve ficar pronta em 120 dias, a partir do início da execução dos serviços. A área de 6.167m² foi desapropriada pelo Estado. Por recomendação do governador, será empregada mão de obra do próprio bairro do Jacintinho na edificação da Unidade.

 

SUS

 

Inicialmente, a UPA foi orçada em R$ 5,9 milhões, mas licitada para edificação por R$ 5 milhões. A unidade irá assegurar atendimento intermediário entre a Atenção Básica e a Média e Alta Complexidade e melhorar o serviço prestado aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) da capital, juntamente com as outras duas UPAs existentes nos bairros do Trapiche e do Benedito Bentes.

 

 

A UPA do Jacintinho também vai beneficiar os moradores do 1º e 8º Distritos de Saúde, que residem nos bairros da Jatiúca, Mangabeiras, Ponta Verde, Ipioca, Pescaria, Riacho Doce, Garça Torta, Guaxuma, Jacarecica e Cruz das Almas. Com a construção da Unidade, o fluxo de pacientes que recorrem ao Hospital Geral do Estado (HGE) será reduzido. 

 

"Temos dois desafios: fazer funcionar melhor o que já existe e construir novos equipamentos. Além das duas UPAS da capital, estamos construindo dois hospitais em Maceió: o da Mulher, que está quase pronto, e o Metropolitano, que avança a passos largos com obras em três expedientes. Estamos ainda construindo os hospitais regionais do interior, um em Porto Calvo e outro em União dos Palmares. O próximo será o Hospital Regional do Sertão, em Delmiro Gouveia, cuja licitação está sendo concluída", citou Renan Filho.

 

A UPA do Jacintinho será do tipo III e vai ter capacidade para atender até 350 pacientes por dia. A unidade de saúde será dividida em leitos de observação (15) e de urgência (4), nas áreas de clínica geral, pediatria, ortopedia e odontologia. O equipamento disporá do serviço de classificação de risco, sala de nebulização, consultórios, sala de gesso, laboratório, exames de raios-X e eletrocardiograma. Funcionará 24 horas durante os sete dias da semana e, deste modo, poderá resolver grande parte das urgências e emergências.

 

A solenidade reuniu moradores, lideranças comunitárias, deputados estaduais, vereadores, secretários de Estado e diretores de órgãos da administração indireta.

 

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247