Mães rejeitam corte do ensino integral infantil por Doria

Mães e pais dos alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Dom Gastão protestaram nesta sexta-feira (22) contra o fim do horário integral para a educação infantil na escola em 2018; as crianças serão transferidas para unidades a cerca de dois quilômetros da atual escola; no último dia 14, as três escolas da Diretoria Regional de Ensino do Ipiranga foram notificadas que não teriam mais aulas em período integral no próximo ano

Mães e pais dos alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Dom Gastão protestaram nesta sexta-feira (22) contra o fim do horário integral para a educação infantil na escola em 2018; as crianças serão transferidas para unidades a cerca de dois quilômetros da atual escola; no último dia 14, as três escolas da Diretoria Regional de Ensino do Ipiranga foram notificadas que não teriam mais aulas em período integral no próximo ano
Mães e pais dos alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Dom Gastão protestaram nesta sexta-feira (22) contra o fim do horário integral para a educação infantil na escola em 2018; as crianças serão transferidas para unidades a cerca de dois quilômetros da atual escola; no último dia 14, as três escolas da Diretoria Regional de Ensino do Ipiranga foram notificadas que não teriam mais aulas em período integral no próximo ano (Foto: Charles Nisz)

Rodrigo Gomes, Rede Brasil Atual - Mães e pais dos alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Dom Gastão, que vai deixar de atender a educação infantil – crianças de 4 e 5 anos – em 2018, protestaram na manhã desta sexta-feira (22). As crianças serão transferidas para unidades a cerca de dois quilômetros da escola e não terão mais atendimento integral. As Escolas Municipais de Ensino Infantil (Emei) Antonio Figueiredo Amaral e Alceu Maynard perderão seus períodos integrais para receber as crianças da Dom Gastão e aumentar o atendimento da demanda.

No último dia 14, as três escolas da Diretoria Regional de Ensino do Ipiranga foram notificadas que não teriam mais aulas em período integral no próximo ano. Os pais estão preocupados e sem informações claras, já que nenhum documento oficial foi expedido pela Secretaria Municipal da Educação. A gestão do prefeito João Doria (PSDB) limitou-se a informar que “não há nada definido para o próximo ano letivo”. No entanto, as unidades já notificaram as famílias.

RBA ouviu mães que protestaram contra o corte do ensino integral por Doria. Entre as preocupações estão a perspectiva de ter de pagar alguém para cuidar dos filhos no contraturno escolar e o medo de precisar deixar o emprego. Além da revolta com a falta de diálogo da parte da prefeitura, que não realizou diálogo com a comunidade escolar antes de tomar a decisão.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247