Maia critica “inocência de uma infância roubada por um método eleitoreiro”

O deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou a ação do Exército, que, durante a intervenção na segurança pública do Rio, fez uma revista em crianças de uma escola pública, conforme uma foto publicada pela Folha; "A inocência de uma infância roubada por um método eleitoreiro de um presidente golpista acusado por vários crimes de corrupção. A ação no RJ nada tem ligação com segurança pública, nem mesmo vai resolver o problema da criminalidade. Revoltante!!!", disse

O deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou a ação do Exército, que, durante a intervenção na segurança pública do Rio, fez uma revista em crianças de uma escola pública, conforme uma foto publicada pela Folha; "A inocência de uma infância roubada por um método eleitoreiro de um presidente golpista acusado por vários crimes de corrupção. A ação no RJ nada tem ligação com segurança pública, nem mesmo vai resolver o problema da criminalidade. Revoltante!!!", disse
O deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou a ação do Exército, que, durante a intervenção na segurança pública do Rio, fez uma revista em crianças de uma escola pública, conforme uma foto publicada pela Folha; "A inocência de uma infância roubada por um método eleitoreiro de um presidente golpista acusado por vários crimes de corrupção. A ação no RJ nada tem ligação com segurança pública, nem mesmo vai resolver o problema da criminalidade. Revoltante!!!", disse (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - O deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou a ação do Exército, que, durante a intervenção na segurança pública do Rio, fez uma revista em crianças de uma escola pública, conforme uma foto publicada pela Folha.

"A inocência de uma infância roubada por um método eleitoreiro de um presidente golpista acusado por vários crimes de corrupção. A ação no RJ nada tem ligação com segurança pública, nem mesmo vai resolver o problema da criminalidade. Revoltante!!!", escreveu o petista em sua conta no Twitter.

Após o decreto do governo Michel Temer, as Forças Armadas assumiram a responsabilidade do comando das polícias Civil e Militar no estado do Rio até o dia 31 de dezembro de 2018. O interventor federal será o general Walter Souza Braga Netto, comandante do Leste. Ele também assumiu o comando da Secretaria de Administração Penitenciária e do Corpo de Bombeiros.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247