Mais dois vereadores deixam presídio de Caruaru

Os parlamentares Val (DEM) e Cecílio Pedro (PTB) deixaram  a Penitenciária Juiz Plácido de Souza; eles se juntam a outros oito vereadores de Caruaru, principal município do Agreste pernambucano, acusados de exigirem propina para aprovarem projetos na Câmara Municipal; a defesa dos seis políticos que já haviam conseguido a liberdade provisória recorrerão ao TJ-PE para reaver os seus mandatos

Os parlamentares Val (DEM) e Cecílio Pedro (PTB) deixaram  a Penitenciária Juiz Plácido de Souza; eles se juntam a outros oito vereadores de Caruaru, principal município do Agreste pernambucano, acusados de exigirem propina para aprovarem projetos na Câmara Municipal; a defesa dos seis políticos que já haviam conseguido a liberdade provisória recorrerão ao TJ-PE para reaver os seus mandatos
Os parlamentares Val (DEM) e Cecílio Pedro (PTB) deixaram  a Penitenciária Juiz Plácido de Souza; eles se juntam a outros oito vereadores de Caruaru, principal município do Agreste pernambucano, acusados de exigirem propina para aprovarem projetos na Câmara Municipal; a defesa dos seis políticos que já haviam conseguido a liberdade provisória recorrerão ao TJ-PE para reaver os seus mandatos (Foto: Leonardo Lucena)

Pernambuco 247 – Dois vereadores presos durante a Operação Ponto Final, da Polícia Civil, deixaram nesta quarta-feira (25) a Penitenciária Juiz Plácido de Souza (PJPS). São eles: Val (DEM), da oposição, e Cecílio Pedro (PTB), da base governista. Agora são oito parlamentares liberados. Porém, a defesa de seis dos dez vereadores de Caruaru, principal município do Agreste pernambucano, que já haviam conseguido a liberdade provisória recorrerão ao Tribunal de Pernambuco (TJ-PE) para reaver os seus mandatos. 

Mesmo tendo obtido habeas-corpus, os parlamentares, acusados de exigirem propina para aprovarem projetos na Câmara Municipal, perderam os seus mandatos, assumidos pelos suplentes, após o Ministério Público (MPPE) pedir a suspensão das atividades parlamentares dos vereadores por 180 dias. A decisão foi acatada pelo o juiz da Vara da Fazenda Pública de Caruaru, José Fernando.

De acordo com o advogado Maviael Peixoto, que defende os seis parlamentares, os procedimentos serão tomados assim que a Justiça voltar do recesso, no dia 2 de janeiro.

Entre os aliados, também forma liberados Val das Rendeiras (PROS) e Sivaldo Oliveira (PP). Já Louro do Juá (SDD), Neto (PMN), Evandro Silva (PMDB) e Jajá (PPS) forma os oposicionistas que tiveram liberdade provisória concedida pelo Judiciário. Os vereadores Eduardo Cantarelli (SDD) e Pastor Jadiel (PROS) também ingressaram com pedido de habeas-corpus, e devem deixar a PJPS em breve.

Em relação aos pedidos de propina, as investigações apontaram que uma das exigência dos parlamentares teria sido a cobrança de R$ 2 milhões para aprovarem um projeto que previa a implantação do Bus Rapid Transit (BRT) na cidade. O projeto está orçado em R$ 250 milhões e, caso seja implantado, terá financiamento da Caixa Econômica Federal (CEF) no valor de R$ 250 milhões.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247