Mais testemunhas das subvenções serão ouvidas pelo TRE nesta 5ª

Nesta quinta (9), o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe retoma a oitiva de testemunhas indicadas pela Procuradoria Regional Eleitoral nos processos de irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social da Assembleia Legislativa de Sergipe; a partir das 8h, o juiz Fernando Escrivani Stefaniu ouvirá o depoimento de Dogival de Jesus, representante da Associação dos Moradores Carentes de Moita Bonita, que recebeu R$ 275 mil dos deputados Luiz Mitidieri, Angélica Guimarães, Arnaldo Bispo e Venâncio Fonseca

Nesta quinta (9), o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe retoma a oitiva de testemunhas indicadas pela Procuradoria Regional Eleitoral nos processos de irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social da Assembleia Legislativa de Sergipe; a partir das 8h, o juiz Fernando Escrivani Stefaniu ouvirá o depoimento de Dogival de Jesus, representante da Associação dos Moradores Carentes de Moita Bonita, que recebeu R$ 275 mil dos deputados Luiz Mitidieri, Angélica Guimarães, Arnaldo Bispo e Venâncio Fonseca
Nesta quinta (9), o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe retoma a oitiva de testemunhas indicadas pela Procuradoria Regional Eleitoral nos processos de irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social da Assembleia Legislativa de Sergipe; a partir das 8h, o juiz Fernando Escrivani Stefaniu ouvirá o depoimento de Dogival de Jesus, representante da Associação dos Moradores Carentes de Moita Bonita, que recebeu R$ 275 mil dos deputados Luiz Mitidieri, Angélica Guimarães, Arnaldo Bispo e Venâncio Fonseca (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

MPF - Nesta quinta-feira, Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe retoma a oitiva de testemunhas indicadas pela Procuradoria Regional Eleitoral nos processos de irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Pela manhã, a partir das 8h, o juiz Fernando Escrivani Stefaniu ouvirá o depoimento de Dogival de Jesus, representante da Associação dos Moradores Carentes de Moita Bonita.

De acordo com as investigações da Procuradoria Regional Eleitoral, a associação recebeu R$ 275 mil dos deputados Luiz Mitidieri, Angélica Guimarães, Arnaldo Bispo e Venâncio Fonseca, apesar de estar registrada em um endereço residencial. Quando visitada, a casa estava fechada e exibia uma placa de propaganda política de Vanderbal de Andrade, marido de Angélica Guimarães e candidato a deputado estadual à época, e de outros candidatos da mesma coligação.

Ainda será ouvida Soraya Nunes Barreto dos Santos, ex-presidente da associação e assessora parlamentar de Angélica Guimarães. Além dela, Douglas Costa e José Augusto Costa deverão prestar informações sobre os cheques, no valor de R$ 120 mil, emitidos da associação para os postos de gasolina que os dois administram.

Já a partir das 16h, Fabiano da Fonseca, representante da Associação dos Moradores de Moita Bonita deverá prestar esclarecimentos. A associação não foi localizada pelas investigações da PRE e segundo o próprio Fonseca, funcionava em sua casa. A entidade recebeu R$ 155 mil dos deputados Luiz Mitidieri e Venâncio Fonseca. Alex Costa, ex-presidente da associação, também foi indicado como testemunha.

Malhador – Duas entidades do município de Malhador estarão sob análise da Justiça Eleitoral amanhã. Luiz Carlos de Araújo, presidente da Associação de Moradores de Malhador, e Lucas Cunha, presidente da Associação Comunitária de Malhador, se apresentarão à justiça. Fábio Barbosa dos Santos, vereador do município e representante informal desta última entidade, também foi convocado para prestar depoimento.

Além deles, Willames Santos, benefíciário de diversos cheques das duas associações deverá prestar esclarecimentos. A Associação de Moradores de Malhador recebeu R$ 85 mil do deputado Venâncio Fonseca e a Associação Comunitária de Malhador, R$ 105 em subvenções dos deputados Suzana Azevedo, Maria Mendonça e Venâncio Fonseca.

Relembre o caso - Em dezembro de 2014, a Procuradoria Regional Eleitoral em Sergipe (PRE/SE) ajuizou 25 ações contra 23 deputados da legislatura vigente à época na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), por irregularidades no repasse e na aplicação de verbas de subvenção social. Também foi processada a ex-deputada e atual conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Suzana Azevedo. Além de os valores terem sido repassados ilegalmente, por conta de proibição na legislação eleitoral, o levantamento inicial identificou pelo menos R$ 12,4 milhões desviados de sua finalidade.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247