Malafaia defende Bolsonaro após escândalo no MEC: "se tem alguém que tem moral para falar do assunto sou eu" (vídeo)

"Qual o envolvimento dele em corrupção?", questionou o religioso. "Se não alguém que tem moral para falar do assunto sou eu", disse

www.brasil247.com - O pastor Silas Malafaia
O pastor Silas Malafaia (Foto: Marcos Corrêa/PR)


247 - O pastor Silas Malafaia resolveu defender Jair Bolsonaro (PL), nesta quarta-feira (22), após o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro ser preso durante investigações sobre tráfico de influência e corrupção na liberação de dinheiro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura também são alvos da operação. Santos já foi detido.

"Qual a condenação de Bolsonaro? Qual o envolvimento dele em corrupção?", questionou o religioso. "Se não alguém que tem moral para falar do assunto sou eu", disse. 

A PF iniciou as investigações após a divulgação de um áudio, em março, quando Ribeiro afirmou que, a pedido de Bolsonaro, liberava dinheiro do MEC por indicação de dois pastores, Arilton Moura e Gilmar Santos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Malafaia criticou as investigações. "Se eles [Ribeiro, Moura e Santos] estão presos por suspeita de corrupção, cadê os caras, os prefeitos, não tem prefeito suspeito? Corrompeu quem? Como é que é? A Polícia Federal não pediu a prisão dos prefeitos? Estranho, não é", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Agora vamos para a piada: querer comparar corrupção de governo Lula com governo Bolsonaro só pode ser piada", complementou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AC) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) informaram que o Senado conseguiu assinaturas para a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do MEC

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email