Manifestação reúne milhares de mulheres em Fortaleza

Em Fortaleza, o Dia 8 de Março teve como principal atividade uma caminhada de mulheres, reunindo inúmeras entidades do movimento social que se unificaram em torno da realização desse ato. A concentração começou por volta de 8 horas da manhã, na Praça da Imprensa. Com palavras de ordem e intervenções lúdicas que denunciavam o ataque aos direitos, a caminhada das mulheres desceu pela Av. Desembargador Moreira em direção a sede da agência do INSS, no bairro do Meireles. A principal bandeira de luta, este ano, foi o combate a Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer que atinge principalmente as mulheres, com a retirada de direitos  

Em Fortaleza, o Dia 8 de Março teve como principal atividade uma caminhada de mulheres, reunindo inúmeras entidades do movimento social que se unificaram em torno da realização desse ato. A concentração começou por volta de 8 horas da manhã, na Praça da Imprensa. Com palavras de ordem e intervenções lúdicas que denunciavam o ataque aos direitos, a caminhada das mulheres desceu pela Av. Desembargador Moreira em direção a sede da agência do INSS, no bairro do Meireles. A principal bandeira de luta, este ano, foi o combate a Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer que atinge principalmente as mulheres, com a retirada de direitos
 
Em Fortaleza, o Dia 8 de Março teve como principal atividade uma caminhada de mulheres, reunindo inúmeras entidades do movimento social que se unificaram em torno da realização desse ato. A concentração começou por volta de 8 horas da manhã, na Praça da Imprensa. Com palavras de ordem e intervenções lúdicas que denunciavam o ataque aos direitos, a caminhada das mulheres desceu pela Av. Desembargador Moreira em direção a sede da agência do INSS, no bairro do Meireles. A principal bandeira de luta, este ano, foi o combate a Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer que atinge principalmente as mulheres, com a retirada de direitos   (Foto: Fatima 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em Fortaleza, o Dia 8 de Março teve como principal atividade uma caminhada de mulheres. Este ano, a luta das mulheres está articulada com os movimentos de mulheres do mundo inteiro tendo como bandeira da mobilização o slogan "Nenhuma a Menos", com a proposta de ocupar as ruas e mostrar adesão à Greve Internacional de Mulheres. Sob o lema “As mulheres vão parar no 8 de Março”, a manifestação tem como reivindicações a luta contra a Reforma da Previdência; pelo fim do Racismo; pelo fim da violência contra as mulheres; pelo direito ao aborto legal e seguro, além da defesa da igualdade de gênero.

Reunindo inúmeras entidades do movimento social que se unificaram em torno da realização desse ato, a concentração começou por volta de 8 horas da manhã, na Praça da Imprensa. Com palavras de ordem e intervenções lúdicas que denunciavam o ataque aos direitos, a caminhada das mulheres desceu pela Av. Desembargador Moreira em direção a sede da agência do INSS, no bairro do Meireles.  

A escolha do local de encerramento foi uma alusão à Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer, que retira direitos das mulheres do campo e da cidade, entre eles, a mudança na idade para a aposentadoria, que passa de 60 para 65 anos. A proposta foi denunciada pelas inúmeras mulheres que usaram o microfone, puxando o grito "Fora Temer". Além de denunciar a reforma da previdência, foram cobradas ainda a volta dos programas sociais e das políticas públicas criadas nos governos Lula e Dilma e que estão sendo cortados pelo governo de Michel Temer. Também foram denunciados os preconceitos e a violência de gênero. 

A caminhada durou cerca de 1 hora e meia, em absoluta tranquilidade. Em alguns trechos, já próximo ao ponto de chegada, guardas da Autarquia Municipal de Trânsito ajudaram a organizar o fluxo de veículos para evitar problemas. Em frente à agência do INSS, um grupo de mulheres realizou uma performance mostrando os retrocessos trazidos pelo golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff.

A caminhada do movimento unificado de mulheres foi reforçada por professoras e professores da rede municipal de Fortaleza, que mais cedo, realizaram uma Assembleia Geral  em frente a Secretaria Municipal de Educação, como parte da luta contra a retirada de direitos e em defesa do piso salarial. Na assembleia, os professores deliberam por greve geral no dia 15 de março.

 

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247