Manifestantes encontram grades e seguranças na Assembleia Legislativa

Assembleia suspende sessão e fechas as portas na chegada dos manifestantes que participaram do Dia Nacional de Luta, organizado pelas centrais sindicais e movimentos sociais, hoje pela manhã, em Fortaleza

Assembleia suspende sessão e fechas as portas na chegada dos manifestantes que participaram do Dia Nacional de Luta, organizado pelas centrais sindicais e movimentos sociais, hoje pela manhã, em Fortaleza
Assembleia suspende sessão e fechas as portas na chegada dos manifestantes que participaram do Dia Nacional de Luta, organizado pelas centrais sindicais e movimentos sociais, hoje pela manhã, em Fortaleza (Foto: Ana Pupulin)

Manifestantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de outras centrais sindicais e movimentos sociais que se reuniram na manhã desta sexta-feira, 13, em um ato pacífico na Praça da Imprensa, fizeram uma passeata até a Assembleia Legislativa do Ceará. Chegando na entrada do legislativo cearense, por volta das 11h30min, os participantes do ato encontraram as portas fechadas, com grades e seguranças na entrada principal, embora não estivesse na programação, ocupar a casa legislativa.

No Plenário 13 de maio, o deputado Elmano de Freitas (PT) foi a favor da entrada dos manifestantes. “Fiz o pedido para que as portas da Assembleia fossem abertas para que o povo entrasse e infelizmente, nem isso, hoje, conseguimos”, lamentou Elmano.

 Para ele, fechar as portas da Casa demonstra que ainda é necessário “fazer muita reforma política para que aqueles que representam o povo permitam os canais de participação popular no nosso Estado”. Elmano defendeu a entrada dos manifestantes dizendo que “a Casa pertence ao povo”. Mas acabou ignorado. Rapidamente, após a chegada do ato à Assembleia, mais precisamente às 11h43min, a Casa encerrou os trabalhos.

 Durante a sessão desta manhã, Elmano usou seu tempo na tribuna da Assembleia para falar sobre reforma política. “Meu pronunciamento hoje na tribuna da Casa foi exatamente sobre reforma política, falando do ato que estava acontecendo e o apoio que dou a mobilização do povo em defesa de um governo democrático e popular da presidente Dilma e em defesa de reformas estruturais”, pontuou. O petista defende a mobilização. “O povo quer mais democracia e melhores serviços públicos. Parabenizo os movimentos socais como a CUT, MST, Levante Popular da Juventude e todas as organizações populares do Brasil que estão lutando por reformas estruturais”, finalizou.  

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247