Manifestantes protestam contra 'ração humana' de Doria

Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB); manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo)

Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB); manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo)
Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB); manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo) (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB). 

Os manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo). 

Após a repercussão negativa da ação desastrada, Doria recuou e desistiu de incluir na merenda das escolas da rede municipal de São Paulo a 'ração humana', feita com alimentos perto da data de validade e que iriam para o lixo (leia mais). 

A vereadora Sâmia Bomfim (PSOL) protocolou na Câmara o pedido de abertura de CPI para investigar a 'ração humana'. O texto questiona a falta de informações sobre o produto e a empresa. Sâmia divulgou um antigo vídeo em que Doria diz que "pessoas humildes" não têm hábito alimentar (leia mais).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247