Manifestantes protestam contra 'ração humana' de Doria

Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB); manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo)

Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB); manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo)
Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB); manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo) (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira, 20, um protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo contra a proposta de "ração humana" do prefeito João Doria (PSDB). 

Os manifestares levaram ração de cachorro e colocaram o produto em recipientes com os nomes de Doria e alguns de seus auxiliares como Eloisa Arruda (secretária de Direitos Humanos), Wilson Martins Poit, (secretário de Desestatização e Parcerias), e Julio Semeghini Neto (secretário de Governo). 

Após a repercussão negativa da ação desastrada, Doria recuou e desistiu de incluir na merenda das escolas da rede municipal de São Paulo a 'ração humana', feita com alimentos perto da data de validade e que iriam para o lixo (leia mais). 

A vereadora Sâmia Bomfim (PSOL) protocolou na Câmara o pedido de abertura de CPI para investigar a 'ração humana'. O texto questiona a falta de informações sobre o produto e a empresa. Sâmia divulgou um antigo vídeo em que Doria diz que "pessoas humildes" não têm hábito alimentar (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email