Mano Brown: Temer foi pego com a mão na cumbuca, perdeu

Presença mais esperada no ato por Diretas Já em São Paulo, o rapper Mano Brown foi o último a se apresentar no Largo da Batata e defendeu a saída imediata de Michel Temer do Planalto e a realização de eleições diretas; "De repente o comandante é o mais corrupto. Foi pego com a mão na cumbuca malandro. Foi pego, perdeu", disse

Mano Brown defende diretas já em manifestação no largo da batata, São Paulo
Mano Brown defende diretas já em manifestação no largo da batata, São Paulo (Foto: Paulo Emílio)

Revista Fórum - Presença esperada no ato por Diretas Já em São Paulo, o rapper Mano Brown foi o último a se apresentar no Largo da Batata neste domingo (4). Brown começou com o clássico Diário de um Detento, de 1997, e entre uma música e outra defendeu a saída de Michel Temer da Presidência da República.

"De repente o comandante é o mais corrupto. Foi pego com a mão na cumbuca malandro. Foi pego, perdeu. Se um dos nossos é pego fumando um no beco, um baseado, e encontrar um policial mal humorado – porque nem todos são, tem uns que até pedem para dar um tapa e sai fora – outros te atrasa, te forja um 12. Você sabe, você luta pela vida, você vive na selva."

Brown também defendeu mudança para a multidão de cem mil pessoas, segundo os organizadores, que gritava "Fora Temer" e "Diretas Já". "Precisamos de mudança, o comandante foi pego com a mão na cumbuca. Não caguetei ele, não tenho culpa, ele foi pego. Eleições diretas agora. É o justo", disse. "Quantos amigos nossos não estão presos, porque estavam no lugar errado, na hora errada. Pai de família, moleque de futuro, inteligente", lamentou.

E, por fim, defendeu "mudar geral": "Percebo que a juventude quer mudança. Ela não quer cores, ela não quer escolher o vermelho, o azul, o verde, o amarelo. A juventude quer justiça, quer transparência. Isso é um espinho na ponta do leão. Não adianta vir defender partido A, ou partido B. Todo mundo teve a sua chance."

Presença esperada no ato por Diretas Já em São Paulo, o rapper Mano Brown foi o último a se apresentar no Largo da Batata neste domingo (4).  Brown começou com o clássico Diário de um Detento, de 1997, e entre uma música e outra defendeu a saída de Michel Temer da Presidência da República.

“De repente o comandante é o mais corrupto. Foi pego com a mão na cumbuca malandro. Foi pego, perdeu. Se um dos nossos é pego fumando um no beco, um baseado, e encontrar um policial mal humorado – porque nem todos são, tem uns que até pedem para dar um tapa e sai fora – outros te atrasa, te forja um 12. Você sabe, você luta pela vida, você vive na selva.”

Brown também defendeu mudança para a multidão de cem mil pessoas, segundo os organizadores, que gritava “Fora Temer” e “Diretas Já”. “Precisamos de mudança, o comandante foi pego com a mão na cumbuca. Não caguetei ele, não tenho culpa, ele foi pego. Eleições diretas agora. É o justo”, disse. “Quantos amigos nossos não estão presos, porque estavam no lugar errado, na hora errada. Pai de família, moleque de futuro, inteligente”, lamentou.

E, por fim, defendeu “mudar geral”: “Percebo que a juventude quer mudança. Ela não quer cores, ela não quer escolher o vermelho, o azul, o verde, o amarelo. A juventude quer justiça, quer transparência. Isso é um espinho na ponta do leão. Não adianta vir defender partido A, ou partido B. Todo mundo teve a sua chance.”

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247