“Manuais da ditadura estão vigentes”, diz ministra

Em tempos de manifestações populares, Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos, alerta que "é extremamente preocupante que as polícias continuem abordando a juventude de forma violenta, sempre como suspeitos, revelando que os manuais de inquérito e abordagem do período da ditadura continuam vigentes"

“Manuais da ditadura estão vigentes”, diz ministra
“Manuais da ditadura estão vigentes”, diz ministra
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

RS247 – Em tempos de manifestações populares, que tomaram o País no mês de junho, a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, alerta para o caráter repressor da Polícia Militar, cujo potencial de ampliar a violência, ao invés de enfrentá-la, ficou bastante clara neste período.

"É extremamente preocupante que as polícias continuem abordando a juventude de forma violenta, sempre como suspeitos, revelando que os manuais de inquérito e abordagem do período da ditadura continuam vigentes", declarou a ministra, em entrevista à revista Carta Capital.

Para a petista, o governo ainda não pôde colher bons resultados em relação ao número de mortes por causas violentas. O que significa, segundo ela, que esse tipo de mortalidade não está unicamente vinculado à dimensão social e econômica, mas "à capacidade de produzir uma cultura de valorização da vida e da juventude".

Segundo a ministra, porém, apesar dos avanços com o enfrentamento da pobreza extrema, "o País está fazendo um caminho na contramão". A ministra participou, na última quinta-feira 19, da conferência 2003 – 2013: Uma Nova Política Externa, na Universidade Federal do ABC.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247