Manuela D'Ávila sobre intervenção: ‘interesses eleitorais já começam a aparecer’

A deputada estadual pelo Rio Grande do Sul e pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, se manifestou sobre a intervenção federal na segurança do Rio, em meio à possibilidade de o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disputar o governo fluminense em 2018; “Não passou um fim de semana, e os motivos eleitorais da intervenção no Rio começam a aparecer”, afirmou ela; o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), confirmou a possibilidade da candidatura do seu correligionário

A deputada estadual pelo Rio Grande do Sul e pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, se manifestou sobre a intervenção federal na segurança do Rio, em meio à possibilidade de o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disputar o governo fluminense em 2018; “Não passou um fim de semana, e os motivos eleitorais da intervenção no Rio começam a aparecer”, afirmou ela; o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), confirmou a possibilidade da candidatura do seu correligionário
A deputada estadual pelo Rio Grande do Sul e pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, se manifestou sobre a intervenção federal na segurança do Rio, em meio à possibilidade de o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disputar o governo fluminense em 2018; “Não passou um fim de semana, e os motivos eleitorais da intervenção no Rio começam a aparecer”, afirmou ela; o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), confirmou a possibilidade da candidatura do seu correligionário (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 – A deputada estadual pelo Rio Grande do Sul e pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, se manifestou sobre a intervenção federal na segurança pública do estado do Rio, após o ministro da Defesa, Raul Jungmann, dizer que avalia disputar o governo fluminense em 2018.

“Não passou um fim de semana, e os motivos eleitorais da intervenção no Rio começam a aparecer”, escreveu a parlamentar em sua conta no Twitter.

Em nota assinada junto com a deputada federal Luciana Santos (PCdoB-PE), Manuela já havia criticado a intervenção no Rio, medida, que, segundo as parlamentares, "busca se aproveitar de uma grave situação – como o colapso da segurança pública – para angariar dividendos eleitorais e, ao mesmo tempo, retirar do foco a derrota que sofreria com a reforma da Previdência". "Não há cortina de fumaça que esconda o repúdio da população à agenda ultraliberal do governo" (leia mais aqui).

A notícia sobre a pretensão em disputar o governo do Rio foi publicada pela coluna Brasil Confidencial, da revista "Isto É". Jungmann é suplente de deputado federal pelo PPS de Pernambuco. Ao Globo, o ministro negou a informação, mas o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), confirmou esta possibilidade.

"É algo que o próprio partido admite como uma hipótese. Ele é um nome nacional. A presença dele frente à movimentação das Forças Armadas (no Rio) o credenciam. Ele está tendo um papel de expressão nisso", disse Freire.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247