Manuela se diz vítima de fake-news: ‘de onde vem o dinheiro sujo que financia mentiras na internet?’

Publicação na internet atribui à pré-candidata do PCdoB, Manuela D'Ávila, um post em que ela pediria para publicações culpando o MTST pelo incêndio em São Paulo serem enviadas para ela, com print, a fim de ser feita uma denúncia, "pois lugar desses nazifascistas eleitores do Bolsonaro é na ponta do fuzil"; Manuela desmentiu o post. "Isso é uma montagem, já encaminhada a nossa equipe jurídica. Eles montam e fazem circular pelo whats e outras redes Pergunto mais uma vez: de onde vem o dinheiro sujo que financia as mentiras na internet??!?"

Publicação na internet atribui à pré-candidata do PCdoB, Manuela D'Ávila, um post em que ela pediria para publicações culpando o MTST pelo incêndio em São Paulo serem enviadas para ela, com print, a fim de ser feita uma denúncia, "pois lugar desses nazifascistas eleitores do Bolsonaro é na ponta do fuzil"; Manuela desmentiu o post. "Isso é uma montagem, já encaminhada a nossa equipe jurídica. Eles montam e fazem circular pelo whats e outras redes Pergunto mais uma vez: de onde vem o dinheiro sujo que financia as mentiras na internet??!?"
Publicação na internet atribui à pré-candidata do PCdoB, Manuela D'Ávila, um post em que ela pediria para publicações culpando o MTST pelo incêndio em São Paulo serem enviadas para ela, com print, a fim de ser feita uma denúncia, "pois lugar desses nazifascistas eleitores do Bolsonaro é na ponta do fuzil"; Manuela desmentiu o post. "Isso é uma montagem, já encaminhada a nossa equipe jurídica. Eles montam e fazem circular pelo whats e outras redes Pergunto mais uma vez: de onde vem o dinheiro sujo que financia as mentiras na internet??!?" (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - A presidenciável pelo PCdoB, Manuela D´Ávila (RS), se diz vítima de fake-news, após uma publicação na internet atribuir à pré-candidata um post em que ela pede para publicações culpando o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) pelo incêndio em São Paul serem enviada para ela, com print, a fim de ser feita uma denúncia, "pois lugar desses nazifascistas eleitores do Bolsonaro é na ponta do fuzil".

Manuela desmentiu o post. "Tem candidaturas que se estruturam divulgando mentiras. Isso é uma montagem, já encaminhada a nossa equipe jurídica. Eles montam e fazem circular pelo whats e outras redes Pergunto mais uma vez: de onde vem o dinheiro sujo que financia as mentiras na internet??!?", questionou.

O post atribuído à presidenciável dizia: "galera, se você verem uma publicação culpando MTST pelo incêndio, tirem print e envie pra mim para denunciar, pois lugar desses nazifascistas eleitores do Bolsonaro é na ponta do fuzil".

Um incêndio de grandes proporções atingiu dois edifícios no largo do Paissandu, centro de São Paulo. Um dos prédios desabou após o incêndio. O inquérito do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) que apurava riscos ligados ao edifício que desabou foi arquivado em 18 de março deste ano, mas o órgão reabriu o inquérito.

Outro caso 

Quem também se manifestou sobre "fake-news" foi o presidenciável do Psol e coordenador do MTST, Guilherme Boulos, que ameaçou levar o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ) à Justiça

"Eduardo Bolsonaro promove fake news e tenta fazer uso político da tragédia. Irá responder judicialmente", escreveu o presidenciável no Twitter.

De acordo com o parlamentar, filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ), o prédio que desabou na madrugada desta terça-feira (1) na cidade de São Paulo foi invadido por membros do MTST. Depois, o congressista escreveu: "Confundir o MTST com o MLSM (Movimento de Luta Social por Moradia) é o mesmo que confundir CV com PCC, no final das contas é tudo crime".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247