Marcelo debate proposta de redução de desmatamento na COP 21

Governador Marcelo Miranda (PMDB) se reuniu com outros governadores brasileiros e com a ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, para debater ações de combate ao desmatamento, durante a Conferência do Clima (COP-21), em Paris; "Estamos desenvolvendo estratégias para que esse trabalho possa chegar também aos pequenos e médios agricultores, eles precisam saber que também podem ganhar com a preservação ambiental", disse o governador

Governador Marcelo Miranda (PMDB) se reuniu com outros governadores brasileiros e com a ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, para debater ações de combate ao desmatamento, durante a Conferência do Clima (COP-21), em Paris; "Estamos desenvolvendo estratégias para que esse trabalho possa chegar também aos pequenos e médios agricultores, eles precisam saber que também podem ganhar com a preservação ambiental", disse o governador
Governador Marcelo Miranda (PMDB) se reuniu com outros governadores brasileiros e com a ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, para debater ações de combate ao desmatamento, durante a Conferência do Clima (COP-21), em Paris; "Estamos desenvolvendo estratégias para que esse trabalho possa chegar também aos pequenos e médios agricultores, eles precisam saber que também podem ganhar com a preservação ambiental", disse o governador (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - O governador Marcelo Miranda (PMDB) continua discutindo na Conferência do Clima (COP-21), em Paris, estratégias e ações que possam contribuir com as questões climáticas do planeta e com desenvolvimento de projetos que possam trazer retornos de investimentos para o Estado e melhoria na qualidade de vida da população.

Na reunião que aconteceu nessa segunda-feira, 7, na embaixada do Brasil na França, o governador se uniu aos demais governadores da Amazônia Legal e com a ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, para discutir propostas que venham reduzir o desmatamento.

Na ocasião, a ministra fez um diagnóstico da questão ambiental no Brasil e afirmou que o país pode despontar como um polo de investimentos internacionais em diversas áreas, conseguindo recursos para financiar projetos de cunho sustentáveis. "O Brasil está sob o olhar do planeta e é visto como um local onde muitos investimentos dos fundos ambientais podem ser depositados", disse Izabela Teixeira, complementando ainda, que a China e os Estados Unidos pretendem criar um fundo ambiental no valor de três bilhões de euros.

A ministra, porém, chamou a atenção dos governadores para a questão do cuidado que os mesmos devem ter com a questão do desmatamento. De acordo com Izabela Teixeira, o Brasil vem reduzindo o desmatamento, mas para que não haja nenhum revés nas estatísticas, é necessário que medidas sejam tomadas. "Temos que reforçar a fiscalização e punição aos crimes ambientais, melhorando os mecanismos de controle e monitoramento", avaliou.

Projetos Sustentáveis

O governador Marcelo Miranda disse que o Tocantins está preparado para discutir projetos alternativos, mas ressaltou que eles devem vir de encontro com as compensações que o Estado precisa. O governador disse ainda que sua principal preocupação na COP-21 é fazer com que as parcerias firmadas possam beneficiar, de fato, o cidadão tocantinense, principalmente os de médio e pequeno porte que trabalham na agricultura familiar. "Estamos desenvolvendo estratégias para que esse trabalho possa chegar também aos pequenos e médios agricultores, eles precisam saber que também podem ganhar com a preservação ambiental", disse.

Marcelo Miranda citou como exemplo o Protocolo de Intenções firmado entre o Governo do Estado e a empresa China Green. "O Tocantins está aberto e quer contribuir com iniciativas que envolvam parcerias entre entes públicos e privados. Um legado possível da COP-21 ao Estado, é a construção de uma governança ambiental, racional, justa e soberana. Que os frutos das nossas propostas, aliadas as experiências da China Green possam resultar em melhorias para o clima no mundo", explanou.

O governador concluiu dizendo que acredita na união para conseguir concretizar as propostas que estão sendo discutidas pelos estados que compõem a Amazônia Legal. "Entendo que a participação do Tocantins, bem como a dos demais estados que compõem a Amazônia Legal, faz parte de uma história importante, onde estamos debatendo propostas de defesa da Amazônia, do crédito de carbono, de menos desmatamento. Nós estamos aqui, juntamente com a nossa equipe de governo para ouvir mais. Queremos participar e discutir para saber o que os Estados vão ganhar de compensações. Eu vejo, que o momento agora é uma discussão mais ampla", finalizou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247