Márcio e Rogério enxergam João candidato em 2014

De Rogério se ouviu a seguinte análise: “João Alves trabalha em Aracaju como candidato ao Governo, faz mutirão nos bairros e criou 300 cargos para fortalecer sua base”; já Márcio Macêdo alertou que o pleito de 2014 deve ser visto como uma disputa com três nomes disputando a sucessão de Marcelo Déda: "pode ter um cenário com três candidatos: Jackson, a candidatura dos Amorim e a de João, que, em minha opinião, será candidato”

Márcio e Rogério enxergam João candidato em 2014
Márcio e Rogério enxergam João candidato em 2014

Valter Lima, do Sergipe 247 – Os deputados federais Márcio Macêdo e Rogério Carvalho afirmaram, durante plenária do PT em Propriá, no último sábado (27), que é muito provável que o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), seja candidato a governador em 2014.

De Rogério se ouviu a seguinte análise: “João Alves trabalha em Aracaju como candidato ao Governo, faz mutirão nos bairros e criou 300 cargos para fortalecer sua base”. Já Márcio Macêdo alertou que o pleito de 2014 deve ser visto como uma disputa com três nomes disputando a sucessão de Marcelo Déda. “Pode ter um cenário com três candidatos: Jackson, a candidatura dos Amorim e a de João, que, em minha opinião, será candidato”, disse.

O evento em Propriá integra uma série de encontros do PT em cidades importantes do Estado, com vistas ao processo de eleição interna da sigla e ao pleito eleitoral de 2014. Em sua fala, Rogério focou sua avaliação na disputa nacional. “Nós temos um Brasil diferente de 2002. Naquele tempo, tinham roubado os sonhos dos brasileiros. Hoje, podemos ter carro, casa, estudar em faculdades. O PT devolveu essa possibilidade aos brasileiros”, disse.

Para Rogério, “o que está em disputa em 2014 é se esse processo vai continuar ou não”. “Nós, além de políticos, somos militantes de uma causa: a igualdade. Numa democracia ter alternância de poder é natural, mas não podemos correr o risco de passar pelo retrocesso. Nosso opositor pode ser qualquer um: Eduardo Campos, Marina Silva, ou Aécio Neves. Todos serão usados pela mídia, por interesse da elite”, afirmou.

Na visão de Márcio Macêdo, mais voltado ao cenário local, é que o partido está encerrando um ciclo no Estado de Sergipe e que é preciso unidade e organização para dar início a um novo momento histórico, “abrindo espaço para o conjunto da militância e da juventude”.

“Vivenciamos um momento peculiar. Estamos fechando um ciclo para nosso partido. O PT já deixou de ser prefeito de Aracaju. Tem duas eleições que não disputamos. E vai deixar de ser Governo do Estado. No melhor cenário, que vai acontecer porque vamos vencer, apoiaremos Jackson e ganharemos eleição”, disse.

Assim como afirmou, no encontro realizado no sábado (20), em Itabaiana, Márcio afirmou que, para receber o apoio do PT em 2014, o vice-governador Jackson Barreto (PMDB) deve ter compromisso com o legado de oito anos do petismo em Sergipe e ter “compromisso com quem disputará a eleição e com os companheiros que estarão segurando as bandeiras do PT”. “Temos que fazer uma aliança programática para continuar colocando nosso projeto de transformação de Sergipe em curso”, repisou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247