Marco Maia: prisão de Lula será violência histórica

Deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou uma eventual prisão do ex-presidente Lula, condenado sem provas tanto na primeira como na segunda instância jurídica no processo envolvendo o triplex no Guarujá (SP); "Não há contradições neste processo, há um golpe em curso, a direita fará qualquer coisa para não deixar Lula concorrer. Prisão de Lula será violência histórica", escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter

Deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou uma eventual prisão do ex-presidente Lula, condenado sem provas tanto na primeira como na segunda instância jurídica no processo envolvendo o triplex no Guarujá (SP); "Não há contradições neste processo, há um golpe em curso, a direita fará qualquer coisa para não deixar Lula concorrer. Prisão de Lula será violência histórica", escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter
Deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou uma eventual prisão do ex-presidente Lula, condenado sem provas tanto na primeira como na segunda instância jurídica no processo envolvendo o triplex no Guarujá (SP); "Não há contradições neste processo, há um golpe em curso, a direita fará qualquer coisa para não deixar Lula concorrer. Prisão de Lula será violência histórica", escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 – O deputado federal Marco Maia (PT-RS) criticou uma eventual prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado sem provas tanto na primeira como na segunda instância jurídica no processo envolvendo o triplex no Guarujá (SP).

"Não há contradições neste processo, há um golpe em curso, a direita fará qualquer coisa para não deixar Lula concorrer. Prisão de Lula será violência histórica", escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter.

O Ministério Público Federal denunciou ex-presidente, em setembro de 2016, acusando Lula de receber R$ 3,7 milhões em benefício próprio da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012, através de um triplex no Guarujá (SP).

Mas, na apresentação da denúncia, o procurador Henrique Pozzobon admitiu não existir "prova cabal" de que o petista é "proprietário no papel" do tripléx. 

"Precisamos dizer desde já que, em se tratando da lavagem de dinheiro, ou seja, em se tratando de uma tentativa de manter as aparências de licitude, não teremos aqui provas cabais de que Lula é o efetivo proprietário no papel do apartamento, pois justamente o fato de ele não figurar como proprietário do tríplex, da cobertura em Guarujá é uma forma de ocultação, dissimulação da verdadeira propriedade", disse o procurador.

Nove meses antes, em janeiro, o ex-presidente publicou no site do Instituto Lula um dossiê completo em que disponibiliza todos os documentos referentes ao apartamento. Foram publicados seus contratos com a Bancoop, sua declaração de Imposto de Renda, a declaração de bens ao Tribunal Superior Eleitoral e os contratos que compravam a desistência da ex-primeira-dama Marisa Letícia em continuar com o imóvel (confira aqui).

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247