Março registra aumento de famílias inadimplentes

Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), indica que percentual de famílias inadimplentes cresceu em março deste ano, chegando a 23,5%. ; taxa é superior às observadas em fevereiro deste ano (23,3%) e em março de 2015 (17,9%); maior parte das dívidas das famílias é com cartão de crédito (77,3%)

Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), indica que percentual de famílias inadimplentes cresceu em março deste ano, chegando a 23,5%. ; taxa é superior às observadas em fevereiro deste ano (23,3%) e em março de 2015 (17,9%); maior parte das dívidas das famílias é com cartão de crédito (77,3%)
Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), indica que percentual de famílias inadimplentes cresceu em março deste ano, chegando a 23,5%. ; taxa é superior às observadas em fevereiro deste ano (23,3%) e em março de 2015 (17,9%); maior parte das dívidas das famílias é com cartão de crédito (77,3%) (Foto: Paulo Emílio)

Vitor Abdala, repórter da Agência Brasil - O percentual de famílias inadimplentes, ou seja, com contas ou dívidas em atraso, cresceu em março deste ano, chegando a 23,5%. A taxa é superior às observadas em fevereiro deste ano (23,3%) e em março de 2015 (17,9%). Os dados da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) foram divulgados hoje (23) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A parcela de famílias endividadas, não necessariamente com contas ou dívidas em atraso, ficou em 60,3% em março deste ano, abaixo dos 60,8% do mês anterior, mas ainda acima do patamar de março de 2015 (59,6%).

As famílias que não terão condições de pagar suas contas ou dívidas (8,3%) também diminuíram em relação a fevereiro (8,6%) e ficaram acima do patamar de março do ano passado (6,2%).

A maior parte das dívidas das famílias é com cartão de crédito (77,3% delas). Também são instrumentos importantes de endividamento das famílias os carnês (16,7%), os financiamentos de carro (12%) e os créditos pessoais (10,8%). Em média, o tempo de atraso do pagamento das dívidas é de 62,6 dias.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247