Marconi rebate: se dependesse da oposição, Goiás não teria avançado

Governador Marconi reagiu às críticas de oposicionistas sobre a mais recente missão comercial do governo de Goiás, no Oriente Médio; para o tucano, o governante não pode ficar parado e precisa buscar investimentos; "Se dependesse da oposição, não teríamos avançado em nada, porque a única alternativa para a oposição é que eu ficasse parado, que não trouxesse investimentos, não gerasse empregos, não viabilizasse obras, para que eles pudessem ganhar seu discurso. O fato é que quanto mais nos mobilizamos, mais nos articulamos no Brasil e no exterior. Quanto mais trazemos indústrias, modernização, investimentos em todas as áreas, mais fica difícil para eles sustentar um discurso contra o governo”, ressaltou

Governador Marconi reagiu às críticas de oposicionistas sobre a mais recente missão comercial do governo de Goiás, no Oriente Médio; para o tucano, o governante não pode ficar parado e precisa buscar investimentos; "Se dependesse da oposição, não teríamos avançado em nada, porque a única alternativa para a oposição é que eu ficasse parado, que não trouxesse investimentos, não gerasse empregos, não viabilizasse obras, para que eles pudessem ganhar seu discurso. O fato é que quanto mais nos mobilizamos, mais nos articulamos no Brasil e no exterior. Quanto mais trazemos indústrias, modernização, investimentos em todas as áreas, mais fica difícil para eles sustentar um discurso contra o governo”, ressaltou
Governador Marconi reagiu às críticas de oposicionistas sobre a mais recente missão comercial do governo de Goiás, no Oriente Médio; para o tucano, o governante não pode ficar parado e precisa buscar investimentos; "Se dependesse da oposição, não teríamos avançado em nada, porque a única alternativa para a oposição é que eu ficasse parado, que não trouxesse investimentos, não gerasse empregos, não viabilizasse obras, para que eles pudessem ganhar seu discurso. O fato é que quanto mais nos mobilizamos, mais nos articulamos no Brasil e no exterior. Quanto mais trazemos indústrias, modernização, investimentos em todas as áreas, mais fica difícil para eles sustentar um discurso contra o governo”, ressaltou (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - As críticas de setores oposicionistas à gestão estadual se limitam ao discurso politiqueiro, raso e infundado. A avaliação é do governador Marconi Perillo, que considera que alguns líderes da oposição em Goiás insistem em manter uma visão “atrasada, medíocre, tacanha” a respeito das missões comerciais internacionais.

“A oposição sempre quer que o governo ande para trás, que o Estado ande para trás. Então, é natural que alguns líderes da oposição tenham uma visão atrasada, medíocre, tacanha. E eu vou continuar fazendo o que sempre fiz, que é acelerar para valer o desenvolvimento de Goiás”, garantiu Marconi.

Em entrevista, o governador lamentou a resistência da oposição à realização das expedições ao exterior e afirmou que já está mais que comprovado o retorno positivo das missões internacionais em prol do desenvolvimento econômico do Estado.

“Se dependesse da oposição, não teríamos avançado em nada, porque a única alternativa para a oposição é que eu ficasse parado, que não trouxesse investimentos, não gerasse empregos, não viabilizasse obras, para que eles pudessem ganhar seu discurso. O fato é que quanto mais nos mobilizamos, mais nos articulamos no Brasil e no exterior; quanto mais trazemos indústrias, modernização, investimentos em todas as áreas, mais fica difícil para eles sustentar um discurso contra o governo”, ressaltou.

A recente missão comercial ao Oriente Médio, a declaração do senador Aécio Neves, que colocou como Marconi como o governador mais inovador do País e o sentimento que dele emana ao chegar aos 54 anos de idade também foram comentados pelo governador na entrevista.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247