Maria do Rosário: unidas, as mulheres têm o poder de derrotar o machismo fascista

"Esse dia do #EleNao tem um sentido muito especial pra mim. Sempre soube q as agressões a mim dirigidas eram violências contra todas as mulheres. E unidas a GENTE TEM ESSE PODER: derrotar o machismo fascista. É o Brasil do amor contra o ódio", afirmou a deputada federal do PT-RS

Maria do Rosário: unidas, as mulheres têm o poder de derrotar o machismo fascista
Maria do Rosário: unidas, as mulheres têm o poder de derrotar o machismo fascista (Foto: Esq.: Lúcio Bernardo Jr. - Câmara / Dir.: Fabio Pozzebom - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - Ao lembrar os protestos contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que ocorrem neste sábado (29) contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

"Esse dia do #EleNao tem um sentido muito especial pra mim. Sempre soube q as agressões a mim dirigidas eram violências contra todas as mulheres. E unidas a GENTE TEM ESSE PODER: derrotar o machismo fascista. É o Brasil do amor contra o ódio", disse a parlamentar no Twitter.

Em 2014, Bolsonaro disse que não estupraria a colega Maria do Rosário (PT-RS) porque ela não merecia. "Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece", afirmou o congressista, após a parlamentar defender vítimas da Ditadura Militar (1964-1985).

A chapa está sendo cada vez mais repudiada pelas mulheres, que representa mais de 50% do eleitorado em nível nacional. O repúdio aumentou nas últimas semanas, após o vice de Bolsonaro afirmar que o narcotráfico recruta jovens de famílias pobres "sem avô e pai, mas com avó e mãe". "A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó. Por isso, é uma fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narco-quadrilhas", disse Mourão.

O presidenciável do PSL também já proferiu declarações misóginas, como "eu tenho 5 filhos. Foram 4 homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher". A declaração foi concedida em palestra na Hebraica, no Rio de Janeiro, em abril do ano passado.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247