Matarazzo aceita ser vice de Marta em São Paulo

O vereador Andrea Matarazzo (PSD) aceitou ser o vice na chapa da candidata à Prefeitura de São Paulo Marta Suplicy (PMDB); a informação é do colunista Lauro Jardim; o parlamentar deixou o PSDB, em março, para disputar o executivo; ele concorria com o atual candidato da sigla tucana, João Dória Jr., com quem teve desavenças durante a prévia; segundo os bastidores, Matarazzo teria dito o apoio do ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB), para formar chapa com Marta; o objetivo de Serra deixar a chapa da peemedebista mais competitiva com a de Dória e  evitar que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que apoia o empresário, chegue fortalecido para 2018 com uma eventual eleição do tucano  

O vereador Andrea Matarazzo (PSD) aceitou ser o vice na chapa da candidata à Prefeitura de São Paulo Marta Suplicy (PMDB); a informação é do colunista Lauro Jardim; o parlamentar deixou o PSDB, em março, para disputar o executivo; ele concorria com o atual candidato da sigla tucana, João Dória Jr., com quem teve desavenças durante a prévia; segundo os bastidores, Matarazzo teria dito o apoio do ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB), para formar chapa com Marta; o objetivo de Serra deixar a chapa da peemedebista mais competitiva com a de Dória e  evitar que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que apoia o empresário, chegue fortalecido para 2018 com uma eventual eleição do tucano
 
O vereador Andrea Matarazzo (PSD) aceitou ser o vice na chapa da candidata à Prefeitura de São Paulo Marta Suplicy (PMDB); a informação é do colunista Lauro Jardim; o parlamentar deixou o PSDB, em março, para disputar o executivo; ele concorria com o atual candidato da sigla tucana, João Dória Jr., com quem teve desavenças durante a prévia; segundo os bastidores, Matarazzo teria dito o apoio do ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB), para formar chapa com Marta; o objetivo de Serra deixar a chapa da peemedebista mais competitiva com a de Dória e  evitar que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que apoia o empresário, chegue fortalecido para 2018 com uma eventual eleição do tucano   (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - O vereador Andrea Matarazzo (PSD) aceitou, neste domingo (24), ser o vice na chapa da candidata à Prefeitura de São Paulo Marta Suplicy (PMDB). A informação é do colunista Lauro Jardim.

Com Matarazzo na vice de Marta, formou-se um chapa unindo o PMDB, de Michel Temer, e o PSD, de Gilberto Kassab, ex-prefeito da capital. Em números, somam-se os 3% de Matarazzo, obtido no Datafolha de 15 de julho, com os 16% de Marta na mesma pesquisa, liderada por Celso Russomanno (25%), lembrou o colunista.

Matarazzo deixou o PSDB em março deste ano para disputar a prefeitura. Ele concorria com o atual candidato da sigla tucana, João Dória Jr., com quem teve desavenças. Em nota divulgada naquele mês, Matarazzo acusou o empresário de irregularidades no dia da votação do primeiro turno das prévias da legenda.

"O comportamento de parte do partido nestas prévias que é uma réplica do que o PT está fazendo e o PSDB condena. Vimos compra de votos sem cerimônia com gravações para comprová-la, transporte de eleitores, constrangimento de pessoas, seguranças dentro dos locais de votação e uso da máquina pública", disse ele. "Tudo isso me faz acreditar que o PSDB não é mais o partido que ajudei a construir."

Após a desistência da Matarazzo, Dória não teve concorrente no segundo turno da prévia. O empresário negou as acusações do parlamentar. "Não é depreciativo você não vencer. O que é triste é você não saber perder", afirmou, segundo o G1. "Não houve nenhuma irregularidade de nenhuma espécie. O vereador Andrea Matarazzo está desestabilizado emocionalmente por conta da primeira derrota que sofreu nas prévias", disse o empresário antes do segundo turno da prévia.

Apoio de Serra visa 2018

O atual ministro das Relações Exteriores, José Serra, teria entrado em campo, junto com Kassab, para convencer Matarazzo a ser vice na chapa da Marta Suplicy. De acordo com os bastidores políticos, o tucano estaria com a pretensão de fortalecer a chapa PMDB-PSD para ficar mais competitiva com a candidatura do empresário João Dória Jr., apoiado pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

O objetivo de Serra seria evitar que o atual chefe do executivo paulista fique fortalecido para 2018 com uma eventual eleição do empresário. Tanto o ministro como o seu correligionário são dois potenciais nomes para disputar a presidência da República pelo PSDB.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247