Médicos pela Democracia pedem ‘fora Temer’ na Bahia

O movimento 'Médicos Pela Democracia' lançou seu comitê em Salvador em ato realizado nesta sexta-feira; o grupo é contrário ao posicionamento do Conselho Federal de Medicina, que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff; "O Médicos pela Democracia entende que o impeachment é golpe, tem como pauta principal o fortalecimento do SUS e pode contar conosco para denunciar no Congresso o absurdo que é a PEC 241, de Temer, que impõe um congelamento de 20 anos nos gastos da saúde", diz o deputado Jorge Solla (PT), que é médico; durante o evento, o público gritou reiteradas vezes o 'Fora Temer'

O movimento 'Médicos Pela Democracia' lançou seu comitê em Salvador em ato realizado nesta sexta-feira; o grupo é contrário ao posicionamento do Conselho Federal de Medicina, que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff; "O Médicos pela Democracia entende que o impeachment é golpe, tem como pauta principal o fortalecimento do SUS e pode contar conosco para denunciar no Congresso o absurdo que é a PEC 241, de Temer, que impõe um congelamento de 20 anos nos gastos da saúde", diz o deputado Jorge Solla (PT), que é médico; durante o evento, o público gritou reiteradas vezes o 'Fora Temer'
O movimento 'Médicos Pela Democracia' lançou seu comitê em Salvador em ato realizado nesta sexta-feira; o grupo é contrário ao posicionamento do Conselho Federal de Medicina, que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff; "O Médicos pela Democracia entende que o impeachment é golpe, tem como pauta principal o fortalecimento do SUS e pode contar conosco para denunciar no Congresso o absurdo que é a PEC 241, de Temer, que impõe um congelamento de 20 anos nos gastos da saúde", diz o deputado Jorge Solla (PT), que é médico; durante o evento, o público gritou reiteradas vezes o 'Fora Temer' (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O movimento 'Médicos Pela Democracia' lançou seu comitê em Salvador em ato realizado nesta sexta-feira (1º) no auditório do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindmed). O grupo é contrário ao posicionamento do Conselho Federal de Medicina (CFM) - que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

"Como médico, me orgulha muito o nascimento e a força desse movimento que vai na contramão do corporativismo conservador que infelizmente tem pautado as ações dos dirigentes de entidades da classe médica. O Médicos pela Democracia entende que o impeachment é golpe, tem como pauta principal o fortalecimento do SUS e pode contar conosco para denunciar no Congresso o absurdo que é a PEC 241, de Temer, que impõe um congelamento de 20 anos nos gastos da saúde", disse o deputado federal Jorge Solla (PT-BA), que participou do evento.

Ele destacou que se o projeto estivesse em vigor desde 2003, o Orçamento da Saúde em 2015 seria de R$ 55 bilhões, quase metade dos R$ 100,5 bilhões que foi executado. "Você provavelmente teria metade da rede que tem hoje, que já é insuficiente", destaca.

No evento, o professor Jairnilson Paim, sanitarista da UFBA, apresentou palestra em que destacou dados históricos que comprovam os avanços do SUS nas últimas décadas em cobertura e melhoria nos índices de saúde, mesmo com baixa aplicação de recursos per capita, se comparado aos demais países do mundo que possuem saúde pública universal e gratuita.

Durante o evento, o público gritou reiteradas vezes o 'Fora Temer'. A estreia nas ruas do Médicos pela Democracia será no cortejo do Dois de Julho, neste sábado.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247