'Meirelles é a versão piorada do Michel', diz Renan

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirma que a sigla não tem candidato viável para disputar a Presidência e que Temer e Henrique Meirelles numa campanha defenderiam "o legado do governo, não do partido"; para Renan, "Meirelles é a versão piorada do Michel"; ele defende que o MDB não deve investir em uma candidatura própria porque precisa "sobreviver à hecatombe que o governo Michel Temer provocou no partido"

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirma que a sigla não tem candidato viável para disputar a Presidência e que Temer e Henrique Meirelles numa campanha defenderiam "o legado do governo, não do partido"; para Renan, "Meirelles é a versão piorada do Michel"; ele defende que o MDB não deve investir em uma candidatura própria porque precisa "sobreviver à hecatombe que o governo Michel Temer provocou no partido"
O senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirma que a sigla não tem candidato viável para disputar a Presidência e que Temer e Henrique Meirelles numa campanha defenderiam "o legado do governo, não do partido"; para Renan, "Meirelles é a versão piorada do Michel"; ele defende que o MDB não deve investir em uma candidatura própria porque precisa "sobreviver à hecatombe que o governo Michel Temer provocou no partido" (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 – O MDB de Temer e Henrique Meirelles sonha em ter um candidato viável para disputar a Presidência da República este ano. Ou que pelo menos apoie alguém que esteja disposto a defender o legado do atual governo federal. Porém, outra parte significante do partido parece não dar muito crédito a essa ideia.

E a voz dissonante que aparece é a do senador Renan Calheiros (MDB-AL). Crítico duro de Michel Temer, Renan diz que que o MDB não tem nenhum candidato viável para disputar a Presidência da República em 2018. Os dois nomes discutidos hoje, de Temer e do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, numa campanha defenderiam “o legado do governo, não do partido”.

Para o senador, “Meirelles é a versão piorada do Michel”, diz. Renan não apenas descarta a possibilidade de apoiar algum deles como defende que o MDB, em vez de investir recursos em uma candidatura própria, precisa “sobreviver à hecatombe que o governo Michel Temer provocou no partido”.

Renan Calheiros também avalia os presidenciáveis Joaquim Barbosa (PSB), Jair Bolsonaro (PSL-RJ), analsia nomes que fazem parte do quadro fragmentado que espera para a eleição de 2018, Lula, foro privilegiado, Lava Jato, enfim, em entrevista ao Estado de Minas/Correio Braziliense, (leia aqui na íntegra).

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247