Metroviários podem cruzar os braços em BH

Os metroviários de Belo Horizonte prometeram cruzar os braços por 24 horas a partir desta quarta-feira (19) em protesto conta a privatização no setor; de acordo com o sindicato, a principal e mais provável consequência da privatização do transporte público é o aumento da passagem, além do receio quanto ao aumento do desemprego, com mais de 1.100 funcionários que podem ser demitidos

Os metroviários de Belo Horizonte prometeram cruzar os braços por 24 horas a partir desta quarta-feira (19) em protesto conta a privatização no setor; de acordo com o sindicato, a principal e mais provável consequência da privatização do transporte público é o aumento da passagem, além do receio quanto ao aumento do desemprego, com mais de 1.100 funcionários que podem ser demitidos
Os metroviários de Belo Horizonte prometeram cruzar os braços por 24 horas a partir desta quarta-feira (19) em protesto conta a privatização no setor; de acordo com o sindicato, a principal e mais provável consequência da privatização do transporte público é o aumento da passagem, além do receio quanto ao aumento do desemprego, com mais de 1.100 funcionários que podem ser demitidos (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 – Os metroviários de Belo Horizonte prometeram cruzar os braços por 24 horas a partir desta quarta-feira (19) em protesto conta a privatização no setor. A categoria tem como objetivo fazer uma paralisação total, porém a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) deverá tentar uma negociação para o metrô operar em escala mínima. De acordo com o sindicato, a principal e mais provável consequência da privatização do transporte público é o aumento da passagem, além do receio quanto ao aumento do desemprego, com mais de 1.100 funcionários que podem ser demitidos. O metrô da capital mineira transporte 230 mil passageiros diariamente.

O Sindicato dos Metroviários e Conexões do Estado de Minas Gerais (Sindimetro-MG), esclarece ato será de advertência e, também na quarta-feira, a categoria decidirá se entre ou não em greve.

"Sabemos de todos os transtornos que uma paralisação do metrô causa à população. Também somos conscientes das condições que o usuário enfrenta diariamente com trens superlotados e sem climatização, roletas e elevadores com problemas de manutenção. Saibam que nada disso é causado pelos metroviários, mas é fruto da falta de investimentos do governo federal no metrô-BH. Os funcionários, assim como a população, sofrem com essa situação", diz o sindicato em carta aberta à população.

A assessoria da CBTU se pronunciará apenas depois da nova assembleia da categoria, prevista para esta terça-feira (18), segundo o jornal O Tempo. Por sua vez, a assessoria da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) disse que não recebeu comunidade oficial da paralisação.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email