Militantes denunciam empresas suíças que vêm comprar águas brasileiras

Além de Petrobras e Eletrobras, Michel Temer, que é rejeitado por 94% dos brasileiros, acusado de corrupção e ilegítimo no cargo, conquistado por um golpe, pretende vender até as águas brasileiras; por meio de intervenção teatral, jovens promoveram uma manifestação em São Paulo para "recepcionar" empresários de empresas como Nestlé, Syngenta e Ruag, que eles denunciam que farão reunião secreta para negociar com governo brasileiro

Além de Petrobras e Eletrobras, Michel Temer, que é rejeitado por 94% dos brasileiros, acusado de corrupção e ilegítimo no cargo, conquistado por um golpe, pretende vender até as águas brasileiras; por meio de intervenção teatral, jovens promoveram uma manifestação em São Paulo para "recepcionar" empresários de empresas como Nestlé, Syngenta e Ruag, que eles denunciam que farão reunião secreta para negociar com governo brasileiro
Além de Petrobras e Eletrobras, Michel Temer, que é rejeitado por 94% dos brasileiros, acusado de corrupção e ilegítimo no cargo, conquistado por um golpe, pretende vender até as águas brasileiras; por meio de intervenção teatral, jovens promoveram uma manifestação em São Paulo para "recepcionar" empresários de empresas como Nestlé, Syngenta e Ruag, que eles denunciam que farão reunião secreta para negociar com governo brasileiro (Foto: Gisele Federicce)

Da Mídia Ninja - Uma comitiva de cerca de 60 suíços, que são os principais atores econômicos e comerciais do país, chegam ao Brasil neste domingo, 29 de abril, para trocar informações sobre possíveis negociações.

Ao chegarem em São Paulo, os empresários foram "recepcionados" por uma intervenção teatral, organizada por jovens, denunciando série de reuniões que acontecem no país ao longo desta semana, que têm por objetivo negociar a venda da água no Brasil.

O cortejo revela um Rei, que representa as empresas, concentrando a água, enquanto a população sofre com sua falta. Confira vídeos e fotos.

Este encontro reúne empresas que em fevereiro estavam presentes no Fórum Mundial da Água (FMA), que aconteceu em Brasília e discutiu o controle da água brasileira.

Há participação de empresários e cientistas ligados ao Centro de Alimentação Mundial (World Food Center), da Universidade Politécnica de Zurique, que é financiado pelas grandes corporações, como a Nestlé a empresa de agrotóxico SYNGENTA.

Representantes da Swissnex, o Swiss, Business Hub e a SwissCam, além da Novartis, Nestlé e Schindler estão hospedados no hotel Tivoli Mofarrej, onde foi feita a intervenção.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247