Minas ajuda o RN a gerir crise nas penitenciárias

Governo mineiro atendeu a um pedido da secretária de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, Kalina Leite, e destacou dois funcionários da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) para auxiliar no combate à crise nas prisões daquele estado; chefe de gabinete da Suapi, Samuel Marcelino de Oliveira Júnior, e o diretor-geral do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, Luis Carlos Danunzio, desembarcaram em Natal com a missão de compartilhar as práticas adotadas no sistema prisional mineiro; governo do Rio Grande do Norte decretou situação de calamidade no sistema penitenciário; foram sete dias de rebeliões e depredação em 14 unidades estaduais    

14/09/2011 - Natal - Policia - Rebelião no Presidio de Alcaçuz.foto:Emanuel Amaral/H:/Selecionadas
14/09/2011 - Natal - Policia - Rebelião no Presidio de Alcaçuz.foto:Emanuel Amaral/H:/Selecionadas (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Minas - O Governo de Minas Gerais atendeu a um pedido da secretária de Segurança Pública e da Defesa Social do Rio Grande do Norte (Sesed-RN), Kalina Leite, e o secretário de Defesa Social de Minas Gerais, Bernardo Santana, destacou dois funcionários da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) para auxiliar no combate à crise nas prisões daquele estado. O chefe de gabinete da Suapi, Samuel Marcelino de Oliveira Júnior, e o diretor-geral do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, Luis Carlos Danunzio, desembarcaram em Natal na última quarta-feira (18/3) com a missão de compartilhar as práticas adotadas no sistema prisional mineiro.

O Governo do Rio Grande do Norte chegou a decretar situação de calamidade no sistema penitenciário do estado. Foram sete dias de rebeliões e depredação em 14 unidades do estado.

O secretário Bernardo Santana, que recentemente foi eleito presidente do Colégio Nacional dos Secretários de Segurança Pública (Consesp), disse que não hesitou diante do pedido da colega do Rio Grande do Norte. "Acredito – e essa é uma crença também do governador Fernando Pimentel – que podemos avançar muito na segurança pública no Brasil se unirmos esforços das unidades da federação, não só levando conhecimento, como é o caso do Rio Grande do Norte, mas também trocando informações para um combate mais eficaz ao crime, que não tem fronteiras", afirmou Santana.

Com 30 anos de experiência no sistema prisional de Minas e à frente, atualmente, da maior penitenciária do estado, Luis Carlos Danunzio foi designado pela secretária Kalina Leite para intervir no ambiente das unidades prisionais potiguares, visando ao restabelecimento da ordem. Danunzio tem vasta experiência em gerenciamento de crises nessa área e uma reconhecida habilidade no diálogo com detentos. "É muito gratificante, a partir das nossas vivências bem sucedidas, poder ajudar. E apesar de ser uma realidade tão diferente da que vivemos em Minas, não deixamos de aprender também.", afirmou.

Logo nos primeiros dias de trabalho dentro dos presídios do Rio Grande do Norte, Danunzio conseguiu acalmar os ânimos dos detentos, normalizar as visitas e assegurar que transferências de presos ocorressem em clima mais tranquilo.

Graças à experiência gerencial na Suapi, Samuel Marcelino contribuiu com ideias e sugestões para a reformulação da gestão do sistema prisional potiguar. "Durante os cinco dias que fiquei em Natal, observei algumas falhas no sistema e sugeri mudanças com ações que deram certo em Minas. Estou finalizando um diagnóstico para entregar à secretária de Segurança Pública e da Defesa Social, Kalina Leite.", contou.

A Suapi administra hoje, em Minas, 148 unidades, entre presídios, penitenciárias, casas de albergados, um centro de referência da gestante privada de liberdade, hospitais prisionais e cerca de 57 mil detentos. No Rio Grande do Norte, são 33 unidades e cerca de 7.600 presos.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247