Minas diminui sete dos nove crimes violentos

De janeiro a setembro de 2015, os crimes violentos que apresentaram as maiores reduções foram extorsão mediante sequestro, de 93 para 62 (-33,33%) e homicídios tentados, de 4.551 para 3.756 (-13,68%); aumentaram os registros de estupro de vulnerável tentado, de 174 para 189 (+8,62%), e de roubo consumado, de 68.782 para 82.567 (+20,04%)

homicídio
homicídio (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Minas - Minas Gerais apresentou redução do número de registros de sete dos nove crimes violentos de janeiro a setembro de 2015, em relação a igual período do ano passado. As ocorrências de homicídios consumados caíram 6,42%, de 3.147 para 2.945. Os homicídios tentados foram de 4.551 para 3.756 (-13,68%); os estupros consumados, de 1.068 para 1.006 (-5,81%); os estupros tentados, de 368 para 315 (-14,40%); os casos de estupro de vulnerável consumado, de 1.831 para 1.763 (-3,71%); de extorsão mediante sequestro, de 93 para 62 (-33,33%); de sequestro e cárcere privado, de 286 para 235 (-17,83%). Cresceram os registros de estupro de vulnerável tentado, de 174 para 189 (+8,62%), e de roubo consumado, de 68.782 para 82.567 (+20,04%).

Entre as naturezas não classificadas como violentas, Minas Gerais teve nos nove primeiros meses de 2015, em relação ao mesmo intervalo de tempo de 2014, queda nos registros de crimes consumados de lesão corporal, de 56.285 para 50.804 (-9,74%); e de extorsão, de 2.131 para 1.558 (-26,89%). A estatística de furto consumado ficou praticamente estável, com alta de 0,1%, de 230.608 ocorrências para 230.848.

Belo Horizonte

Na capital do Estado, a soma dos registros de janeiro a setembro confirmou a forte queda nos registros de homicídios consumados observada ao longo dos meses anteriores de 2015, em relação a iguais períodos de 2014. O número de ocorrências variou de 591 para 442 (-25,21%). Os homicídios tentados também caíram, de 596 para 500 (-16,11%).  Já os registros de estupro consumado tiveram alta de 9,36%, de 171 para 187. Caíram os casos de estupro tentado de 56 para 41 (-26,79%), e de estupro de vulnerável consumado, de 225 para 191 (-15,11%), e houve estabilidade nos registros de estupro de vulnerável tentado: 21 a 21.

Em Belo Horizonte, na mesma base de comparação temporal, as ocorrências de roubo consumado cresceram 20,04%, de 68.782 para 82.567. Declinaram, por sua vez, os registros de extorsão mediante sequestro, de 51 para 26 (-49,02%), e de sequestro e cárcere privado, de 51 para 50 (-1,96%).

Entre as outras naturezas, houve queda nos crimes consumados de lesão corporal, de 4.072 para 3.727 casos (-8,47%), e de furto, de 47.473 para 46.283 (-2,51%). O crime consumado de extorsão teve alta de 13,2%, de 600 para 619 registros.

Setembro

Em Minas Gerais, no mês de setembro de 2015, sete dos nove crimes violentos tiveram queda nas ocorrências, em relação a igual mês de 2014. Registros de homicídio consumado foram de 344 para 321 (-6,69%); homicídios tentados, de 471 para 435 (-7,64%); estupro consumado, de 123 para 95 (-22,76%); estupro tentado, de 35 para 32 (-8,57%); estupro de vulnerável consumado, de 208 para 203 (-2,4%); sequestro e cárcere privado, de 37 para 25 (-32,43%), e extorsão mediante sequestro, de 12 para 9 (-25%). Subiram os casos de estupro de vulnerável tentado, de 17 para 22 (+29,41%), e de roubo consumado, de 7.740 para 9.547 (+23,35%).

Também em setembro de 2015, em comparação com o mesmo mês do ano passado, Minas Gerais teve queda nos registros de crime consumado de lesão corporal, de 6.112 para 5.932 (-2,95%); e de extorsão, de 235 para 135 (-42,55%). Os furtos tiveram alta de 3,33%, de 24.763 para 25.587 casos. 

Os números de crimes violentos e de crimes consumados de furto, lesão corporal e extorsão para os 853 municípios de Minas Gerais atualizados até setembro de 2015 já podem ser consultados no site da Secretaria de Estado de Defesa Social –seds.mg.gov.br – em Integração, Estatísticas e Estatísticas criminais.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247