Minas pede autorização para renegociar dívida

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, pediu autorização à Assembleia Legislativa para renegociar operações de crédito firmadas com o BNDES; a renegociação é referente a três contratos que têm valor total de R$ 1,29 bilhão, de acordo com a Secretaria de Fazenda do Estado

26-09-2016 Governador Fernando Pimentel entrega viaturas da POlicia Civil. Palácio Tiradentes. Foto: Veronica Manevy/Imprensa MG
26-09-2016 Governador Fernando Pimentel entrega viaturas da POlicia Civil. Palácio Tiradentes. Foto: Veronica Manevy/Imprensa MG (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, pediu autorização à Assembleia Legislativa para renegociar operações de crédito firmadas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A renegociação é referente a três contratos que têm valor total de R$ 1,29 bilhão, de acordo com a Secretaria de Fazenda do Estado.

“A Secretaria de Estado de Fazenda informa que as condições a serem renegociadas constam da Lei Complementar nº 156/2016 e estão relacionadas ao prazo de financiamento dos referidos contratos, que será ampliado em até dez anos em relação ao prazo original, incluindo até quatro anos de carência, contado o prazo a partir da celebração dos respectivos aditivos contratuais”, diz nota da Fazenda. O relato foi publicado no Hoje em Dia.

O pedido é para aderir à lei federal de dezembro de 2016, que possibilita aos estados em dificuldades financeiras a renegociação de dívidas junto ao governo federal. 

Em dezembro do ano passado, Michel Temer sancionou a lei complementar 156 com veto ao regime de recuperação fiscal dos estados, que previa a suspensão das dívidas por até 36 meses, mas exigia várias contrapartidas. Foi sancionado artigo que possibilita aos estados alongar o pagamento da dívida em até 20 anos. 



O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247