Minas renegocia dívida de R$ 1,2 bi com o BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) conseguiu renegociar R$ 1,2 bilhão da dívida de Minas Gerais, o que significa que o Estado de Minas ganhou uma prorrogação de 10 anos nos pagamentos, incluindo um prazo de carência de 4 anos; agora, são 14 os estados que tiveram suas dívidas renegociadas com o BNDES, totalizando R$ 9 bilhões

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) conseguiu renegociar R$ 1,2 bilhão da dívida de Minas Gerais, o que significa que o Estado de Minas ganhou uma prorrogação de 10 anos nos pagamentos, incluindo um prazo de carência de 4 anos; agora, são 14 os estados que tiveram suas dívidas renegociadas com o BNDES, totalizando R$ 9 bilhões
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) conseguiu renegociar R$ 1,2 bilhão da dívida de Minas Gerais, o que significa que o Estado de Minas ganhou uma prorrogação de 10 anos nos pagamentos, incluindo um prazo de carência de 4 anos; agora, são 14 os estados que tiveram suas dívidas renegociadas com o BNDES, totalizando R$ 9 bilhões (Foto: Voney Malta)

Minas 247 - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) conseguiu renegociar R$ 1,2 bilhão da dívida do Estado de Minas Gerais, ainda com base na Lei Complementar nº 156 de 28 de dezembro de 2016 – que estabelece o Plano de Auxílio aos Estados e ao Distrito Federal, incluindo as dívidas dos entes federativos com o BNDES. Com a renegociação, o Estado de Minas ganhou uma prorrogação de 10 anos nos pagamentos, incluindo um prazo de carência de 4 anos.

A dívida renegociada do Estado de Minas corresponde a dois empréstimos: R$ 1,1 bilhão do Proinveste e R$ 88,8 milhões do Programa Emergencial de Financiamento (PEF 2). O Proinveste e o PEF 2 são programas de apoio à execução de despesas de capital constantes do Plano Plurianual (PPA) e das Leis Orçamentárias dos Estados e Distrito Federal.

Com Minas Gerais, agora, são 14 os estados que tiveram suas dívidas renegociadas com o BNDES, totalizando R$ 9 bilhões.

Amapá – O Estado do Amapá também estava elegível para renegociar uma dívida de R$ 420,9 milhões, porém o governo estadual não conseguiu atender a tempo as condições prévias exigidas para a renegociação.

Com assessoria

Ao vivo na TV 247 Youtube 247