Ministério da Previdência detecta desvio em Pilar

Uma auditoria realizada pelo Ministério da Previdência Social em março deste ano constatou um rombo de R$ 5.386.616,59 nas contas do Fundo de Previdência Própria dos Servidores do Município de Pilar (Funprepi), entre agosto de 2009 e dezembro de 2012. O desfalque mantém o município com pendências junto ao Cadastro Único de Convênios (Cauc), impedindo a prefeitura de receber recursos federais. Prefeito Carlos Alberto Canuto responsabiliza gestão anterior.

Ministério da Previdência detecta desvio em Pilar
Ministério da Previdência detecta desvio em Pilar

Alagoas247 - Uma auditoria realizada pelo Ministério da Previdência Social em março deste ano constatou um rombo de R$ 5.386.616,59 nas contas do Fundo de Previdência Própria dos Servidores do Município de Pilar (Funprepi), entre agosto de 2009 e dezembro de 2012. O desfalque mantém o município com pendências junto ao Cadastro Único de Convênios (Cauc), impedindo a prefeitura de receber recursos federais. O prefeito Carlos Alberto Canuto (PMDB) cobra da Câmara Municipal a aprovação de um projeto de lei que autoriza o parcelamento da dívida. Mas o Poder Legislativo ainda não se pronunciou.

 “O município de Pilar está ameaçado de perder verbas de convênios com o governo federal e também os recursos das emendas parlamentares. As emendas que forem empenhadas este ano serão liberadas ano que vem. Mas com esta pendência, com certeza Pilar ia perder recursos”, afirmou Carlos Alberto Canuto, que faz um apelo para que a Câmara Municipal aprove o projeto e autorize o parcelamento da dívida. “Eu lamento esta situação. Peço para que os vereadores usem a consciência e entendam que esta demora não afeta o prefeito, mas toda a população da cidade”. A bancada governista na Câmara é minoria entre os nove vereadores. Cinco são da oposição.

De acordo com Canuto, o projeto de lei foi protocolado na Câmara no dia 10 de abril deste ano. “Já se passaram noventa dias e o projeto não foi nem lido em plenário. Ele ainda terá que passar pelas comissões, até ir para votação”, explicou o prefeito. “A autorização da Câmara para o parcelamento da dívida é só o primeiro passo. Depois, teremos que enviar a proposta do parcelamento para que o Ministério da Previdência Social também se posicione. Isso tudo levará tempo, por isso é importante que a Câmara de Pilar seja mais célere, para o bem de todo o município. Quem perde com este impasse é toda a população de Pilar, que ficará sem melhorias na cidade”.

Carlos Alberto Canuto faz questão de ressaltar que o período auditado pelo Ministério da Previdência Social estava sob responsabilidade da gestão anterior. “Quando assumimos a prefeitura, encontramos este problema. Havia 11 pendências junto ao Cauc, já resolvemos 10, falta apenas esta para que o município fique liberado para receber verbas do governo federal e das emendas parlamentares”, explicou o prefeito, que é ex-deputado federal.

Com agzetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247