Ministério Público abre investigação contra a falta de oxigênio no Amazonas

O MP-AM abriu uma investigação sobre a falta de oxigênio no estado. De acordo com o órgão, o objetivo é coletar "possíveis evidências de atuação criminosa organizada, a demandar pronta resposta como forma de também combater a situação vivenciada pela sociedade amazonense"

Sistema de saúde em Manaus entra em colapso
Sistema de saúde em Manaus entra em colapso (Foto: Reuters | Mario Oliveira/SEMCOM/Manaus)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público do Estado do Amazonas, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO, abriu uma investigação para coletar informações sobre a situação emergencial vivenciada no Amazonas, com a chamada segunda onda de aumento de casos de coronavírus, especialmente quanto a eventos ligados à falta de oxigênio medicinal para atendimento dos pacientes necessitados de oxigenioterapia, tais como sofrimento e morte.

De acordo com o MP-AM, o objetivo é coletar "possíveis evidências de atuação criminosa organizada, a demandar pronta resposta como forma de também combater a situação vivenciada pela sociedade amazonense, em colaboração com demais promotorias envolvidas na promoção do direito à saúde, à vida e à dignidade da pessoa humana, sob a perspectiva de fazer cessar qualquer atuação criminosa que esteja colaborando com o atual cenário".

"O procedimento, de início, não terá caráter sigiloso, para atender aos reclamos sociais de transparência e maior conhecimento acerca dos fatos, que dizem respeito à gestão pública da saúde e saída da caótica situação", informou o órgão.

O Amazonas registrou 6,1 mil mortes causadas pela pandemia. O número de infectados é de 229 mil.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email