Ministro confirma revisão de faixa 1,5 do ‘Minha Casa’

"A faixa 1,5 não vai ser extinta, pois tem um 'gap' de mercado. Será revista do ponto de vista de procedimentos", disse o ministro das Cidades, Bruno Araújo; de acordo com ele, o início da contratação foi atrasado em razão de dificuldades técnicas e de cadastramento; "Primeiro deverá ser feita a análise de crédito e depois o cadastramento. A base ficará menor, mas o beneficiário sorteado saberá efetivamente que vai ter perfil para contratação", completou; ele também destacou que o foco deste ano está centrado no término de obras paralisadas da chamada faixa 1, voltada para famílias de menor renda e que necessitam de subsídios maiores

Brasília - O Ministro das Cidades, Bruno Araújo concede entrevista a imprensa (Domingos Tadeu/Agência Brasil)
Brasília - O Ministro das Cidades, Bruno Araújo concede entrevista a imprensa (Domingos Tadeu/Agência Brasil) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O ministro das Cidades, Bruno Araújo, disse que o governo federal irá revisar a faixa 1,5 do programa Minha Casa, Minha Vida, que funde financiamentos e subsídios. "A faixa 1,5 não vai ser extinta, pois tem um 'gap' de mercado. Será revista do ponto de vista de procedimentos", disse o ministro ao jornal Valor Econômico.

De acordo com ele, o início da contratação foi atrasado em razão de dificuldades técnicas e de cadastramento. "Primeiro deverá ser feita a análise de crédito e depois o cadastramento. A base ficará menor, mas o beneficiário sorteado saberá efetivamente que vai ter perfil para contratação", assegurou. A faixa 1,5 do MCMV é voltada para famílias que possuem renda mensal de até R$ 2,35 mil. Os subsídios oferecidos são de até R$ 45 mil para imóveis de até R$ 135 mil.

Bruno Araújo disse, também, que o Minha Casa, Minha Vida continua sendo uma das prioridades do governo, mas que o foco deste ano está centrado no término de obras paralisadas da chamada faixa 1, voltado para famílias de menor renda e que necessitam de subsídios maiores. Segundo o ministério, a paralisação afeta 51,2 mil unidades habitacionais da faixa 1 eoutras 67.177 unidades estão concluídas mas ainda não foram entregues.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247