Ministros alagoanos orientam população sobre o Aedes aegypti

Os ministros dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, e do Turismo, Marx Beltrão, estão em Alagoas, onde visitam, nesta sexta-feira (2), casas para orientar a população na identificação dos focos do mosquito Aedes aegypti; ação integra uma campanha do Ministério da Saúde (MS), que chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue no Dia Nacional de Combate ao Mosquito; 24 cidades encontram-se em situação de alerta ou risco de surto no Estado

Os ministros dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, e do Turismo, Marx Beltrão, estão em Alagoas, onde visitam, nesta sexta-feira (2), casas para orientar a população na identificação dos focos do mosquito Aedes aegypti; ação integra uma campanha do Ministério da Saúde (MS), que chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue no Dia Nacional de Combate ao Mosquito; 24 cidades encontram-se em situação de alerta ou risco de surto no Estado
Os ministros dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, e do Turismo, Marx Beltrão, estão em Alagoas, onde visitam, nesta sexta-feira (2), casas para orientar a população na identificação dos focos do mosquito Aedes aegypti; ação integra uma campanha do Ministério da Saúde (MS), que chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue no Dia Nacional de Combate ao Mosquito; 24 cidades encontram-se em situação de alerta ou risco de surto no Estado (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 – Os ministros dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, e do Turismo, Marx Beltrão, estão em Alagoas, onde visitam, nesta sexta-feira (2), casas para orientar a população na identificação dos focos do mosquito Aedes aegypti. Beltrão encontra-se em Junqueiro e Quintella em Maceió. A ação integra uma campanha do Ministério da Saúde (MS), que chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue no Dia Nacional de Combate ao Mosquito. 

De acordo com Maurício, o objetivo é combater a doença através das medidas mais simples. É preciso, conforme ressaltou em entrevista à imprensa, "fazer uma sexta-feira sem mosquito e, se possível, todos os dias". O ministro ressaltou que a campanha é seria e vem contribuindo para a redução da incidência das doenças. 

"Todos nós temos que trabalhar juntos para manter a saúde da população. O verão é o período em que há maior proliferação do mosquito, o que nos leva a promover as campanhas. O Ministério da Saúde está preparado e não vai faltar recursos para o combate; inclusive, estamos destinando recurso para pesquisa a fim de conseguir encontrar uma vacina, mas enquanto a vacina não vem, cada um faz a sua parte", expôs o ministro. 

Na oportunidade, um drone que vai auxiliar na procura por focos de água parada será controlado pela Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (Sempma). De acordo com o coordenador de fiscalização, José Soares, a ferramenta já está nas ruas. "Ele vai nos ajudar a achar focos de água parada, combatendo o Aedes, mas, também, pode ser usado para outras finalidades", explicou Soares. 

Dados

Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) de 2016, realizado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com os municípios, aponta que 24 cidades encontram-se em situação de alerta ou risco de surto de dengue, chikungunya e zika no Estado de Alagoas. 

Desse total, oito municípios estão em risco, entre eles, Major Isidoro, Girau do Ponciano, Arapiraca, Taquarana, Teotônio Vilela, Ouro Branco, Olho d´Água das Flores e Palmeira dos Índios. Outros 16 municípios estão em alerta e 14 em situação satisfatória. Em todo o país, o LIRAa aponta 855 cidades em situação de risco. O levantamento é fundamental para orientar as ações de controle das três doenças.

A ação faz parte do Dia Nacional de Combate ao Mosquito, que acontece em todo o Brasil, com atividades integradas e simultâneas, desenvolvidas em articulação com prefeituras, governos estaduais e população.

Obras

Outros assunto falado na entrevista diz respeito a obras já em andamento em Alagoas e que contam com recursos federais. Apesar da crise econômica nacional, Quintella afirma ter garantido um bom orçamento para o estado, que não recebia recursos há muito tempo. Ele frisou que houve a recuperação do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares e a retomada de trechos da BR-101. 

"Semana que vem, vamos assinar lotes da BR-101, que são os únicos parados. Restam obras menores, como o encabeçamento da ponte do Rio São Francisco, que ainda não foi feito porque ainda existe um posto fiscal no meio da rodovia. Além disso, vamos iniciar a dragagem do Porto de Maceio, para onde garantimos oitenta milhões de reais e mais vinte milhões para o terminal de passageiros, reincluindo Alagoas na rota do turismo de cruzeiros", informou o ministro dos Transportes. 

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247