Monja Coen reage ao racismo e cobra povo nas ruas: “nós vamos ficar quietos?”

"Vamos permitir que o nosso povo negro, no Dia da Consciência Negra, seja morto por dois homens brancos, violentos? É um horror", disse a Monja Coen em vídeo sobre o assassinato de João Alberto Freitas

(Foto: Divulgação | Paulo Pinto/FotosPublicas)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Monja Coen se manifestou nesta sexta-feira (20) sobre o assassinato brutal do homem negro João Alberto Silveira Freitas por seguranças do Carrefour em Porto Alegre. 

Em vídeo publicado no Instagram, a religiosa defendeu a realização de manifestações de combate ao racismo e à violência perpetrada contra a população negra do Brasil. 

"Cadê as nossas manifestações? Cadê o povo na rua, Brasil? Nós vamos ficar quietos? Vamos engolir de novo este absurdo? Vamos permitir que o nosso povo negro, no Dia da Consciência Negra, seja morto por dois homens brancos, violentos? É um horror", disse a Monja Coen em um trecho do vídeo. 

Atos contra o assassinato de João Aberto Freitas ocorreram em várias cidades do País, como Porto Alegre, Brasília e São Paulo. Na capital paulista, manifestantes atearam fogo em uma unidade do Carrefour no bairro dos Jardins. 

Confira a declaração da Monja Coen:

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247