Moralista e relator das 10 medidas, Onyx confessa caixa dois e pede desculpas

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) admitiu nesta sexta-feira ter recebido recursos via caixa 2 da empresa JBS. Relator do projeto das ’10 Medidas contra a Corrupção’ na Câmara, o parlamentar admitiu que R$ 100 mil doados pela companhia não foram declarados; “Eu cometi um erro e eu peço desculpas aos meus eleitores por isso. Cometi o erro de aceitar e receber esse recurso que foi usado naquela fase final, onde todo candidato passa por momentos de grande dificuldade. E estou fazendo como um homem tem que fazer: assumindo minha responsabilidade”, disse Lorenzoni à Rádio Guaíba

Onyx Lorenzoni
Onyx Lorenzoni (Foto: Leonardo Attuch)

Da Agência Sputinik

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) admitiu nesta sexta-feira ter recebido recursos via caixa 2 da empresa JBS. Relator do projeto das ’10 Medidas contra a Corrupção’ na Câmara, o parlamentar admitiu que R$ 100 mil doados pela companhia não foram declarados. 

Lorenzoni revelou que o valor foi recebido através de um intermediário, o presidente da Associação Brasileira de Exportadores de Carne Bovina (ABIEC), Antônio Jorge Camardelli.

“Eu cometi um erro e eu peço desculpas aos meus eleitores por isso. Cometi o erro de aceitar e receber esse recurso que foi usado naquela fase final, onde todo candidato passa por momentos de grande dificuldade. E estou fazendo como um homem tem que fazer: assumindo minha responsabilidade”, disse Lorenzoni à Rádio Guaíba.

Entretanto, o parlamentar procurou destacar que a origem dos recursos seria lícita, e não fruto de propina.

“É um ato irregular, veja lá o artigo 350 do Código Eleitoral, veja lá se está escrito que é corrupção, veja se o Ministério Público processa alguém por corrupção. Não é propina, não é dinheiro ilegal, eu recebi de maneira irregular no cenário de uma campanha eleitoral. Não foi para uso próprio, o dinheiro foi aplicado na campanha, e foi um erro”, avaliou. 

Protesto no Brasil contra presidente Temer
© REUTERS/ UESLEI MARCELINO
À Rádio Bandeirantes de Porto Alegre, Lorenzoni se defendeu a respeito do inquérito que corre contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF). O parlamentar nega ter recebido os R$ 175 mil que são atribuídos à campanha dele, os quais teriam a Odebrecht como doadora.

 

“Não recebi dinheiro da Odebrecht. Aquele dinheiro é uma tentativa de armação e intimidação. Aquele dinheiro não recebi e vou provar que não recebi”, garantiu o deputado do DEM.

A admissão do que chamou de erro gera uma expectativa para as eleições de 2018. Lorenzoni já adiantou que será candidato mais uma vez. “Vou me submeter ao julgamento dos gaúchos e das gauchas. Na minha trajetória de 24 anos nunca tive processo nunca tive nada relacionado a essa bandalheira que exite no Brasil”, concluiu.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247