Morre a ex-primeira-dama do Estado Sônia Santillo

Sônia Célia Santillo, viúva de Henrique Santillo — que foi governador de Goiás, além de senador e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado —, faleceu na segunda-feira, 24, aos 78 anos; ao lado de Santillo, Dona Sônia, como era conhecida, praticamente reformulou toda a política de ação social do Estado entre 1987 e 2001

Sônia Célia Santillo, viúva de Henrique Santillo — que foi governador de Goiás, além de senador e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado —, faleceu na segunda-feira, 24, aos 78 anos; ao lado de Santillo, Dona Sônia, como era conhecida, praticamente reformulou toda a política de ação social do Estado entre 1987 e 2001
Sônia Célia Santillo, viúva de Henrique Santillo — que foi governador de Goiás, além de senador e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado —, faleceu na segunda-feira, 24, aos 78 anos; ao lado de Santillo, Dona Sônia, como era conhecida, praticamente reformulou toda a política de ação social do Estado entre 1987 e 2001 (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - Sônia Célia Santillo, viúva de Henrique Santillo — que foi governador de Goiás, além de senador e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado —, faleceu na segunda-feira, 24, aos 78 anos. Deixa três filhos, a conselheira do TCE Carla Santillo, ex-deputada estadual, Carlos Santillo e Virgínio (Gino) Santillo.

Sônia Santillo estava internada, no Instituto Neurológico de Goiânia, há mais de uma semana, com problemas respiratórios. A ex-primeira-dama ficou uma semana na UTI.

O corpo será velado no Cemitério Vale do Cerrado, na Rodovia dos Romeiros (nas proximidades do posto da Polícia Rodoviária Federal), a partir das 9 horas.

Quando primeira-dama, de 1987 a 1991, Sônia Santillo dirigiu vários programas sociais, pois era extremamente preocupada com as pessoas carentes. O foco do governo era moradia popular e distribuição de alimentos. O social foi um dos focos da gestão de Henrique Santillo, um governador que, embora não fosse populista, era preocupados com os pobres.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247